Veja como impactar negócios por meio do storytelling com dados!

Saiba como usar o storytelling com dados e conheça o livro Dados e storytelling de impacto, de Brent Dykes!
Storytelling com dados: homem olhando para dados numéricos

Talvez a importância da construção de um storytelling com dados ainda escape a alguns profissionais e negócios. Contudo, vivemos em um mundo extremamente dinâmico, com estímulos constantes que tornam um verdadeiro desafio se conectar com um interlocutor possivelmente disperso.

Em 2015, a Microsoft publicou os resultados de uma pesquisa que apontavam para a queda na capacidade de concentração da humanidade.

Na época, os pesquisadores apontaram que, no ano 2000, os seres humanos tinham a capacidade de se manterem focados por 12 segundos. Já em 2013, essa capacidade era de meros oito segundos – um a menos que um peixinho dourado de aquário.

Se a pesquisa fosse repetida agora, quase uma década depois, com o expressivo aumento do uso de smartphones e a disponibilidade de conteúdos que demandam pouquíssimo tempo de atenção, como aqueles vinculados no TikTok, possivelmente os resultados seriam ainda mais alarmantes.

Leia também: Entenda o que é e quais são as aplicações do Storytelling

Nesse contexto, a capacidade de engajar o interlocutor é fundamental para todo aquele que pretenda empreender ou expandir seus negócios, especialmente se houver a necessidade de uma apresentação de dados, por exemplo.

Com a proposta de trazer inovação a uma metodologia antiga de captação e engajamento de negócios, Brent Dykes escreveu o livro “Dados e storytelling de impacto“, disponível na Editora do Direito.

Vamos nos aprofundar mais no assunto?

O que é storytelling?

Desde a nossa juventude, estamos cercados pelas pequenas narrativas cotidianas para aprender a interpretar o mundo e nossas relações. Seja a partir de livros infantojuvenis ou por meio de exemplos e memórias passadas pelas nossas famílias, a habilidade de nos identificarmos com uma história nasce e morre conosco.

Ainda assim, não raro, esquecemos que, para contar uma boa história, é preciso dedicar-se a ela. Afinal, a melhor forma de estabelecer uma conexão com o leitor é entendendo-o como elemento central desse processo. Como afirma Jeffrey Eugenides, em uma de suas entrevistas:

 “Eu penso no leitor. Eu me importo com o leitor. Não com a ‘audiência’. Não com ‘os leitores’. Apenas o leitor. Aquela única pessoa, sozinha em uma sala, cujo tempo estou pedindo”.

No universo da comunicação, a habilidade de construir uma história que toque o seu público-alvo recebe um nome próprio: storytelling.

Mas o que seria, de fato, o storytelling?

O termo em inglês significa, literalmente, contar histórias: story (história) telling (contar/contando). Seu objetivo principal é criar uma conexão entre o texto e o leitor. 

Dimitri Vieira define storytelling como a arte de contar, desenvolver e adaptar histórias utilizando elementos específicos — personagem, ambiente, conflito e uma mensagem — em eventos com começo, meio e fim, para transmitir uma mensagem de forma inesquecível ao conectar-se com o leitor no nível emocional.

Isso porque, ao contar uma boa história, você garante que está entregando ao interlocutor um material único. Por mais que se trate de um tema batido ou já difundido, o seu conteúdo abordará uma perspectiva nova: a sua, segundo Vieira.

Contar histórias não é uma novidade para a humanidade. Contudo, o conceito de storytelling passou a ser estudado em 1993, no projeto American Film Institute, que estimulava pessoas a contarem histórias voltadas ao universo digital.

A partir daí, a prática se tornou cada vez mais difundida e vem sendo utilizada com muita força no marketing de conteúdo, já que pode ser entendido como estratégia de venda.

Veja também: Confira um guia completo sobre marketing de influência!

Por que utilizar o storytelling com dados?

Bem, mas onde é que os dados entram nessa história?

Para começo de conversa, dados são indiscutivelmente importantes. Desde o número de seguidores que determinado influenciador possui em alguma rede social a apresentações de metas e resultados em uma grande corporação.

Storytelling com dados, portanto, é a prática de apresentar informações por meio de uma narrativa que engaje o interlocutor.

Kellison Ferreira destaca a importância do storytelling com dados para uso interno, especialmente em apresentações para times e stakeholders de empresas:

“Os dados são essenciais e sempre estarão nesses momentos. Porém, estamos falando de uma forma avançada e muito mais ilustrativa de posicioná-los.

Quando profissionais dominam a construção de storytelling de dados, naturalmente, ganham mais recursos para se comunicarem com outras áreas. Nem sempre relatórios ou números soltos vão gerar a compreensão desejada. Uma boa narrativa agrega os dados de maneira mais didática, o que garante o alcance de objetivos em conjunto na empresa.”

O fato é que a utilização do storytelling com dados é muito impactante e eficaz, porque combina a credibilidade dos dados, sem fazer uso de tecnologias pouco atraentes, como uma planilha de Excel, com o poder atrativo e engajante de uma narrativa criada e/ou adaptada para um interlocutor específico.  

Brent Dyker, autor do livro Dados e storytelling de impacto, salienta que não importa quão bons sejam seus dados e suas análises. Eles não terão muito impacto se não estiverem inseridos em uma boa história. 

Jessica Sombrio explica que isso acontece porque o cérebro humano assimila melhor histórias em vez de dados completos, pois não consegue distinguir entre tantas informações o que é de fato relevante e ainda lembrar do que precisa ser destacado.

Sendo assim, a narração de histórias por meio de dados possibilita uma simplificação e compreensão de informações mais complexas. Isso porque estabelece um contexto, informações relevantes e interpretação dos fatos, dando mais sentido e tornando a análise de dados mais interessante.

lançamento da benvirá: clique aqui e confira!

Como aplicar o storytelling com dados?

Brent Dykes ensina que não basta transformar dados em comunicação visual. É preciso também entregar narrativas envolventes.​

Mas, afinal, como posso aplicar o data storytelling? Confira, a seguir, algumas dicas de Jessica Sombrio para colocar essa técnica de comunicação de dados em prática.

  1. Colete os dados;
  2. Identifique a história contida nos dados;
  3. Transforme os dados em narrativas atraentes;
  4. Utilize diferentes formatos para apresentar a narrativa.

1. Colete os dados 

Invista em soluções tecnológicas que auxiliem na coleta de dados. Ou seja, que promovam a integração de dados em um só lugar e ainda facilitem a análise de dados em grandes volumes. 

Atualmente, existem ferramentas online, como a Kondado, que centralizam e organizam os dados, transformando-os em informações relevantes.

2. Identifique a história contida nos dados 

Observe os dados e tente encontrar neles valores de importância, tendências inspiradoras, discrepâncias e outras informações que despertem interesse.

3. Transforme os dados em narrativas atraentes 

Faça dos dados obtidos histórias que tenham valor, que possam de alguma forma ensinar, questionar ou inspirar ações e decisões.

4. Utilize diferentes formatos para apresentar a narrativa 

Não se limite apenas ao texto, use outros formatos como o vídeo ou áudio. Dessa forma, você consegue aumentar o alcance da mensagem que sua marca deseja passar por meio das suas histórias de dados.

Em vez de apresentar à sua equipe ou clientes planilhas cheia de números, tente envolvê-los com uma narrativa de dados cativante, que possa provocar uma resposta emocional e servir como inspiração para que tomem uma decisão ou executem uma ação, ensina Jéssica.

Elementos para uma boa narrativa

O portal NerdWed destaca que uma boa narrativa tem gatilhos emocionais, um tom de voz personalizado, personagens que realizam ações marcantes e um conflito instigante que vai se desenvolvendo ao longo da história que está sendo contada.

Jéssica sugere os seguintes elementos para te ajudar nesta missão:

  • Personagens – defina os principais atores da sua história, identifique nos seus dados os stakeholders, consumidores e sua equipe interna; 
  • Enredo – estabeleça o cenário em que ocorreu o problema. Com a ajuda da visualização de dados, demonstre, por exemplo, o declínio do público de um determinado produto ou serviço;
  • Conflito – toda boa história tem um conflito. Aqui, você irá descrever a raiz do problema. Nessa parte da história, inclua pesquisas de como os consumidores se comportam, suas preferências e tendências;
  • Conclusão – chegamos ao desfecho da história. Apresente quais as metas que a empresa pode alcançar, concentrando os esforços dos departamentos de marketing e relações públicas e usando a visualização de dados.

Lembre-se de que, independentemente da história de dados que você pretende contar, a comunicação deve ser feita de forma eficaz. Diante disso, estruture a sua narrativa com os elementos destacados acima e direcione-a ao seu público com a ajuda da visualização de dados, afirma Sombrio.

Leia também: Guia completo sobre copywriting

Ferramentas úteis para aplicar o storytelling com dados

Muitas são as ferramentas disponíveis hoje em dia para interpretar e analisar dados, por isso, elaboramos uma lista para te ajudar a iniciar nesse universo:  

  1. Stilingue;
  2. Google Search Console;
  3. Google Trends;
  4. Google Analytics.

1. Stilingue

Ferramenta usada para atividades que envolvem o monitoramento de redes sociais como Instagram, Facebook e Youtube. Permite analisar os sentimentos das pessoas que interagem nas páginas, além de fornecer os dados sociodemográficos do público, compilar as principais menções e trazer comparativos com a concorrência, além de novidades do nicho da marca e outras tendências.

2. Google Search Console

Uma das principais ferramentas usadas por estrategistas digitais para analisar informações da audiência nos canais digitais e elaborar campanhas de marketing.

3. Google Trends

Ferramenta que permite conhecer tendências de conteúdo e pesquisa, assuntos mais buscados na internet de acordo com localização personalizada e dados comparativos.

4. Google Analytics

Gratuita, essa ferramenta é uma das mais usadas para analisar o comportamento dos usuários em sites e lojas virtuais. 

Dados e storytelling de impacto

Para se aprofundar mais nesse tema tão rico, no dia 20 de janeiro de 2023, a Editora do Direito lança o livro Dados e storytelling de impacto, de autoria de Brent Dykes.

Enquanto a maioria dos livros sobre o assunto foca apenas na questão da visualização de dados, ignorando por completo os aspectos psicológicos e o poder de contar histórias com essas informações, Brent Dykes mostra como reunir os três elementos centrais do storytelling com dados: os números, a narrativa e as imagens – e juntá-los para ter o maior impacto possível.

Dados e storytelling de impacto é um recurso valioso para qualquer profissional que se comunica com dados, seja no âmbito dos negócios, finanças, marketing, vendas ou educação.​

Conheça o autor Brent Dykes

Autor de dois outros livros sobre análise de dados e tendo publicado mais de trinta artigos na revista Forbes sobre o tema, Brent Dykes tem mais de 15 anos de experiência na indústria de análise de dados e atualmente é diretor sênior de Estratégia de Dados da Domo. 

Em suas funções enquanto analista, gerente e divulgador de tecnologia, em inúmeras grandes empresas, Brent pôde vivenciar de perto os desafios de se comunicar de forma efetiva.

Com um currículo educacional extremamente especializado em marketing, o autor adota uma perspectiva singular sobre o storytelling com dados combinando habilidades qualitativas e quantitativas. ​

Ele divulga suas técnicas de storytelling de dados em inúmeras conferências, exposições e workshops pelo mundo afora e, em 2016, foi agraciado com o prêmio “Most Influential Industry Contributor Award” ou, em tradução livre, “Prêmio à Pessoa mais Influente da Indústria”, conferido pela Digital Analytics Association.

Dados e storytelling de impacto: O que você irá aprender no livro?

Confira, a seguir, em quais aspectos a obra irá ajudar você:

  • Entender os elementos básicos do storytelling com dados e o que funciona para cativar o público.;
  • Compreender como o cérebro processa fatos e narrativas;
  • Estruturar sua informação em formato de narrativa, utilizando um processo de storyboarding em quatro etapas;
  • Incorporar os sete princípios do storytelling visual em seu trabalho.;
  • Evitar erros comuns por meio de exemplos reais.;
  • Transformar seus números e insights em histórias envolventes e impactantes.

Gostou de aprender sobre a importância do storytelling com dados? Então, aproveite e dê uma olhada também na obra Análise de Negócios Para Profissionais – Um Guia de Práticas!

Você também pode gostar

Artigos em destaque