Afinal, o que é sustentabilidade?

O que é sustentabilidade: Pai e filho

Na atualidade, o termo sustentabilidade está muito presente no nosso cotidiano. Ele é recorrente no discurso político, em matérias jornalísticas e até mesmo dentro das empresas. Você provavelmente já escutou esta palavra por aí, não é? Mas, será que sabe realmente o que é sustentabilidade?

É comum encontrarmos esta temática em um contexto de desafio: “Como os países estão buscando o desenvolvimento sustentável?” ou “Como implementar ações sustentáveis no seu dia a dia?”.  

Contudo, para podermos aplicar esta ideia, é necessário antes entendê-la. Afinal, o que é sustentabilidade? Se você tem dificuldade em definir este conceito, não se preocupe, pois esta é uma dúvida comum!

Neste artigo, vamos trazer uma definição de sustentabilidade, explicar quais são seus objetivos, os pilares que a sustentam, além de mostrar exemplos de ações sustentáveis. Confira!

O que é sustentabilidade?

De maneira exata, sustentabilidade é a característica de um processo ou sistema que permite que ele exista por um certo período ou por tempo indeterminado. 

Até os anos 1980, este termo era mais usado por profissionais da área ambiental. Eles o utilizavam para fazer referência a ecossistemas que se mantêm robustos e estáveis, apesar das agressões consequentes da exploração humana.

No entanto, com o fortalecimento do debate sobre o meio ambiente nas décadas seguintes, a palavra adquiriu contornos mais amplos e flexíveis. O atual conceito de sustentabilidade está relacionado ao uso consciente dos recursos naturais, dos quais somos dependentes. Seguindo este princípio, não devemos explorar a natureza de maneira desenfreada, sem respeitar os limites das florestas, rios, solos, entre outros.

O que é desenvolvimento sustentável?

Por vezes, os conceitos de sustentabilidade e desenvolvimento sustentável se confundem. Não há mesmo uma diferenciação rígida entre os dois termos.

Assim como a popularização da ideia de sustentabilidade, a definição de desenvolvimento sustentável também veio em um momento de intenso debate ambiental. 

Em 1983, a ONU (Organização das Nações Unidas) criou a Comissão Mundial de Meio Ambiente e Desenvolvimento (que ficou conhecida como Comissão Brundtland, por ser presidida pela ex-primeira-ministra norueguesa, Gro Harlem Brundtland).

Esta comissão elaborou o relatório “Nosso Futuro Comum”, em 1987, que conta com a seguinte definição:

O desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento que encontra as necessidades atuais sem comprometer a habilidade das futuras gerações de atender suas próprias necessidades. Ele contém dois conceitos-chave:

  • o conceito de ‘necessidades’, sobretudo as necessidades essenciais dos pobres do mundo, que devem receber a máxima prioridade;
  • a noção das limitações que o estágio da tecnologia e da organização social impõem ao meio ambiente, impedindo de atender às necessidades presentes e futuras” (ONU, 1987). (destaques nossos)

Podemos ver que a noção de sustentabilidade guia a proposta de desenvolvimento sustentável, embora a última ideia seja mais ampla. Ela traz conceitos econômicos e sociais, ao priorizar as necessidades das populações mais pobres nas políticas de desenvolvimento de uma nação.

A sustentabilidade seria um princípio de base, enquanto o desenvolvimento sustentável a amplia e, ao mesmo tempo pavimenta o caminho, com políticas efetivas em diversas esferas, não só a ambiental. 

Dessa forma, a Comissão Brundtland recomenda que esse conceito de desenvolvimento sustentável fundamente as políticas públicas de todo o mundo. Os países devem trocar seu atual modelo de crescimento econômico, geralmente destrutivo em termos ambientais, e caminhar em direção àquele sustentável, que busca a equidade, priorizando as classes mais pobres.

Qual é o principal objetivo da sustentabilidade?

Em Inovação, tecnologia e sustentabilidade, os autores Getulio Akabane e Hamilton Pozo elencam como objetivos da sustentabilidade:

  • O progresso social e a igualdade;
  • Proteção ambiental;
  • Conservação dos recursos naturais;
  • Crescimento econômico estável.

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU

Em consonância com essas metas amplas elencadas pelos autores, a ONU, em 2015, definiu 17 objetivos de desenvolvimento sustentável. A ideia é que os países do mundo todo os atinjam até 2030 — a chamada Agenda 2030. São eles:

  1. Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares;
  2. Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e a melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável;
  3. Assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todas e todos, em todas as idades;
  4. Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todas e todos;
  5. Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas;
  6. Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todas e todos;
  7. Assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todas e todos;
  8. Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todas e todos;
  9. Construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação;
  10. Reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles;
  11. Tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis;
  12. Assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis;
  13. Tomar medidas urgentes para combater a mudança climática e seus impactos;
  14. Conservação e uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável;
  15. Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade;
  16. Promover sociedades pacíficas e inclusivas para o desenvolvimento sustentável, proporcionar o acesso à justiça para todos e construir instituições eficazes, responsáveis e inclusivas em todos os níveis;
  17. Fortalecer os meios de implementação e revitalizar a parceria global para o desenvolvimento sustentável.

Quais são os pilares da sustentabilidade?

Os três pilares da sustentabilidade são:

  • Econômico;
  • Social;
  • Ambiental.

Usualmente, estes pilares são apresentados por meio de um diagrama de Venn. Cada um deles é um círculo, e a interseção entre eles é a sustentabilidade.

Portanto, para que a sustentabilidade seja efetivamente alcançada, cada uma dessas três dimensões deve receber a mesma atenção. Entenda cada pilar em detalhes a seguir:

O pilar econômico

A sustentabilidade econômica se relaciona com dois fatores:

  1. Distribuição justa e alocação eficiente de recursos;
  2. Fluxo regular do investimento público e privado.

Por exemplo, uma empresa economicamente sustentável é capaz de produzir e distribuir seus produtos e serviços de uma forma eficaz, estabelecendo uma competitividade justa com as demais. 

Já um país consegue gerir sua economia de maneira eficiente, distribuindo seus recursos, e equilibrando os fluxos entre as iniciativas pública e privada. A economia deve crescer com bases estáveis, respeito ao meio ambiente e aos diferentes grupos sociais.

O pilar social

A sustentabilidade social se relaciona com a busca pelo bem-estar das pessoas e a qualidade de vida nos países. 

Dessa forma, as nações devem buscar um crescimento econômico que se alie à distribuição igualitária de renda. Com isso, objetivos da Agenda 2030, como a erradicação da pobreza e a segurança alimentar podem ser atingidos.

O Brasil, por exemplo, é fortemente marcado pela desigualdade social. Um estudo do World Inequality Lab em 2021 revelou que os 10% mais ricos do nosso território ganham quase 59% da renda nacional

Com a sustentabilidade social, essas diferenças entre os grupos sociais diminuiriam, garantindo uma melhoria geral na vida da população, seja em termos de saúde, trabalho ou cultura. 

O pilar ambiental

A preocupação central do pilar ambiental é com os impactos das atividades humanas sobre o meio ambiente. Sendo assim, a sustentabilidade ambiental é obtida pelo uso dos potenciais dos ecossistemas para propósitos socialmente válidos, sem prejuízos a estes sistemas naturais. 

Exemplos de medidas ambientalmente sustentáveis são:

  • Redução do uso de combustíveis fósseis;
  • Reciclagem;
  • Políticas de conservação dos recursos naturais;
  • Utilização de fontes energéticas limpas e renováveis; 
  • Diminuição da emissão de gases poluentes; entre outros.

Como as empresas podem promover a sustentabilidade?

Agora que você conhece o conceito de sustentabilidade, pode se perguntar: “Como as empresas podem promover um ambiente sustentável?”. 

Com a popularização da ideia de sustentabilidade a partir dos anos 1980, as companhias começaram a encarar essa transformação como um desafio. 

Os impactos ambientais do modelo de exploração tradicional eram visíveis, de modo que era urgente a busca por inovação. Assim, as empresas começaram a considerar fatores ambientais e sociais como parte de sua estratégia. 

Em Como fazer a empresa lucrar com sustentabilidade, o autor Bob Willard propõe um modelo de negócio sustentável, baseado no conceito de “emprestar, usar e devolver”. Segundo ele, tal paradigma tem cinco características:

  1. Melhoria radical da produtividade;
  2. Investimento em capital natural;
  3. Remodelagem ecológica;
  4. Economia de fluxo e de serviços;
  5. Consumo responsável.

Entenda cada uma dessas características:

1. Melhoria radical da produtividade

As empresas devem prolongar ao máximo o uso dos recursos naturais, aumentando sua produtividade.

2. Investimento em capital natural

Nas palavras de Willard:

“As empresas protegem e restauram os ecossistemas para sustentar as necessidades empresariais e sociais. Elas desvinculam o crescimento econômico da exaustão dos bens comuns do planeta” (WILLARD, 2014, p.39).

3. Remodelagem ecológica

As companhias devem eliminar substâncias químicas artificiais e tóxicas de sua linha de produção. Ademais, minimizam o uso de recursos e de energia, usam sistemas de produção de ciclo fechado e diminuem resíduos e emissões nocivas.

4. Economia de fluxo e de serviços

Quando os produtos ficam obsoletos, as empresas devem coletá-los e reciclá-los. Outra opção é remanufaturar os produtos devolvidos.

5. Consumo responsável

Segundo este princípio, as companhias devem reduzir a demanda de materiais e a poluição relacionada a eles. Elas também tomam decisões informadas quando consomem. 

Desse modo, consideram o local de origem do produto, as condições trabalhistas da linha de produção, seus componentes, matérias-primas, embalagem e pegadas ecológicas ao longo do seu ciclo de vida.

Quais são as atitudes sustentáveis?

Individualmente, quais são as atitudes que você pode tomar para contribuir para a sustentabilidade? Na lista abaixo, confira algumas ações simples que você pode implementar no seu dia a dia:

  1. Reduza o uso de plástico;
  2. Economize água;
  3. Recicle!
  4. Dê preferência ao transporte coletivo ou a bicicletas;
  5. Economize energia.

Veja exemplos para cada um dos itens:

1. Reduza o uso de plástico

Segundo o Atlas do Plástico, o Brasil é o quarto maior produtor de resíduos plásticos do mundo. Em 2018, foram mais de 11 milhões de toneladas de plásticos descartados. O material leva muito tempo para se decompor, poluindo nossos solos e mares no processo.

Para reduzir o uso de plástico, você pode: evitar sacolas plásticas, preferindo aquelas de pano ou ecobags; não utilizar descartáveis, como canudos, talheres e copos de plástico, especialmente nos pedidos de delivery; reutilizar embalagens. 

2. Economize água

A fim de economizar água:

  • Reduza o tempo do banho;
  • Não deixe a torneira aberta enquanto escova os dentes ou lava a louça;
  • Não lave a calçada com mangueira;
  • Feche bem as torneiras;
  • Limite o uso da máquina de lavar, usando-a sempre em sua máxima capacidade de roupas.

3. Recicle!

Você separa o lixo da sua casa para reciclagem? Esta é uma ótima forma de ter uma atitude sustentável! 

Para começar, separe um recipiente para o lixo reciclável em sua residência. São materiais recicláveis: papel, plástico, metal e vidro. 

Lembre-se: as embalagens plásticas devem ser entregues secas. Já os vidros, embalados em papel ou papelão, para facilitar o manuseio e evitar acidentes. 

Com os materiais coletados, basta apenas entregá-los para reciclagem!

4. Dê preferência ao transporte coletivo ou a bicicletas

A redução do uso dos combustíveis fósseis é um dos grandes desafios para a plena sustentabilidade. Afinal, esses produtos são um dos responsáveis pelo aquecimento global, pois emitem os chamados gases-estufa. 

Por isso, prefira o transporte coletivo, como ônibus, trens e metrôs. Neles, mais pessoas são transportadas de uma vez, o que gera uma emissão bem menor de gases-estufa. Isso se compararmos, claro, com cada uma das pessoas fazendo seu percurso de carro. 

Outra opção é pedalar até o trabalho: as bicicletas são meios de transporte totalmente limpos!

5. Economize energia

Pequenas atitudes no seu dia a dia podem contribuir para a economia de energia. Por exemplo:

  • Deixar a luz acesa só quando completamente necessário, valorizando a iluminação natural;
  • Retirar da tomada aparelhos que não estão sendo usados;
  • Utilizar lâmpadas de LED, pois elas são mais econômicas;
  • Diminuir o uso do chuveiro e da máquina de lavar (em ambos os casos, você ainda economiza água!).

Esperamos que você tenha gostado desse artigo e tenha entendido melhor o que é sustentabilidade! Confira também nosso post sobre cidades inteligentes.

Você também pode gostar

Artigos em destaque