Flávio Lemos e a “Análise Técnica dos Mercados Financeiros”

Em Análise Técnica dos Mercados Financeiros, Flávio Lemos irá ajudá-lo a se transformar em um investidor de sucesso. Confira o artigo!
Análise Técnica dos Mercados Financeiros: imagem de mão sobre folhas com gráficos

O escritor, engenheiro e diretor Trader Brasil Escola de Finanças & Negócios, Flávio Lemos, é autor das grandes obras: Análise Técnica dos Mercados Financeiros e Dinheiro – Modo de Usar.

Em Análise Técnica dos Mercados Financeiros, o autor irá ajudá-lo a se transformar em um investidor de sucesso ou entrar para o rol de profissionais que atuam nas maiores corretoras.

Se deseja saber mais sobre o assunto, confira neste artigo a entrevista que fizemos com Flávio Lemos sobre a Análise Técnica dos Mercados!

Como as ações do Banco do Brasil serão afetadas com o governo de Lula?

Nos últimos anos, no Banco do Brasil ocorreram muitos avanços operacionais e de governança. 

Entretanto, Lemos argumenta que a instituição financeira ainda fica à mercê do cenário político por ser uma estatal. Afinal, o CEO é nomeado a critério do governo federal e pode potencialmente mudar a estratégia.

A memória do mercado

De fato, o mercado possui memória. A esse respeito, o autor ressalta: 

“O mercado ainda lembra da prisão Aldemir Bendine, na 42ª fase da Lava Jato, deflagrada em 27 de julho de 2017. O MPF afirmou na época que Bendine, quando presidia o BB, pediu R$ 17 milhões à Odebrecht para rolar uma dívida da empreiteira com o banco. Ele não teria recebido o valor. 

Importante mencionar que nas delações, Marcelo Odebrecht e Fernando Reis, ex-executivos da empreiteira, disseram que não aceitaram o pedido por avaliar que Bendine não tinha capacidade de influenciar no contrato de financiamento do BB.”

Leia também: Lava Jato abre debates sobre foro privilegiado no Brasil

O que as propostas de campanha representam a longo prazo?

Lula sugeriu durante a campanha, um amplo programa de renegociação de dívida, expansão mais forte do crédito e o uso dos bancos públicos para apoiar programas sociais.

Para o autor, “Analistas do mercado apontam que potenciais programas de renegociação de dívida, crédito subsidiado e uma abordagem de expansão do crédito mais agressiva podem representar riscos de longo prazo para a rentabilidade do BB. Ainda assim, apontam que o Banco do Brasil tem uma governança que fornece alguma proteção, como uma única classe de ações, membros independentes no conselho e um plano de negócios plurianual.”

Impacto do governo de Esquerda no curto prazo

A lógica por trás do movimento das ações é que um governo de esquerda vai manter o controle estatal sobre as duas empresas e querer usá-las para fins sociais, reduzindo o retorno para os acionistas.

Lemos destaca que, “não há nenhum impacto de curto prazo no balanço do BB. Entretanto, ocorre uma maior incerteza até que haja mais clareza sobre o futuro das políticas públicas.”

Leia também: Quais os melhores livros de contabilidade? Conheça 18 títulos

Avaliação do Banco versus seus pares

No livro Dinheiro: Modo de usar, Lemos comenta sobre indicadores financeiros como o Preço/Lucro (o P/L). 

De forma bastante simples, essa métrica indica quanto os investidores se encontram dispostos a pagar pelos lucros de uma empresa. Assim, intuitivamente, muitos investidores esperam pagar razões P/L mais baixas ao invés de altas.

A ação do Banco do Brasil sempre foi negociada com um desconto significativo em relação aos pares do setor privado. O Banco do Brasil, por exemplo, o múltiplo preço/lucro está em 4,5 vezes, muito próximo ao menor múltiplo que já negociou na história de 3 em 2015. Para voltar para a média histórica que o banco negociou nos anos em que o PT esteve no poder, o papel teria que subir muito!” 

Veja no gráfico do P/L ao longo dos anos abaixo:

Fonte: statusinvest.com.br

Leia também: 10 Dicas valiosas para uma boa organização financeira

Desempenho do Banco do Brasil nos últimos governos

O Banco do Brasil sempre teve retorno sobre o patrimônio líquido (medida que compara seu lucro com o dinheiro aportado pelos acionistas) similar ao dos dois maiores bancos privados do país. 

Esteve em linha ou melhor que os privados durante os dois mandatos de Lula e o primeiro de Dilma, levemente abaixo no período de 2015 a 2018 sob Dilma e Temer, sob Dilma e Temer, e agora voltou a se alinhar ao dos rivais.

Quando se olha na perspectiva das ações, os papéis do BB tiveram desempenho bem acima dos concorrentes nos governos Lula 1 e Lula 2, ficaram para trás no período Dilma, voltaram a bater os rivais sob Temer e estão “em linha” agora com Bolsonaro. Em todo esse período, porém, o banco federal segue negociando com desconto em relação aos concorrentes, embora com resultados parecidos.

Leia também: Guia Completo do Empreendedorismo

Como melhorar a entrada em ações do Banco do Brasil? Confira 3 técnicas

Os investidores que visam superar o mercado, se utilizam do Market timing. Esta técnica refere-se a uma estratégia na qual um participante do mercado toma decisões de compra ou venda, prevendo os movimentos de preços de um ativo financeiro no futuro.

Sob a estratégia de market timing, quaisquer decisões de compra ou venda são baseadas em normalmente em uma das três técnicas de análise a seguir. São elas:

  1. Análise fundamental;
  2. Análise quantitativa; e
  3. Análise técnica.

Confira:

1. Análise fundamental

Ao realizar a análise fundamental, um analista leva em consideração certas suposições sobre as variáveis ​​que afetam as decisões de compra e venda. Market timing é a função matemática de tais variáveis. É importante descobrir o momento mais preciso para tomar a decisão. A análise fundamental é usada para um horizonte de tempo de médio a longo prazo.

2 Análise quantitativa

Análise quantitativa é uma técnica que usa modelagem matemática e estatística, medição e pesquisa para entender o comportamento. Os analistas quantitativos representam uma dada realidade em termos de um valor numérico.

3. Análise técnica

Na análise técnica, o market timing se torna uma função do desempenho histórico da ação e do histórico do comportamento do investidor. A análise técnica é geralmente usada para um horizonte de investimento de curto a médio prazo.

“A análise técnica é o estudo da ação do mercado, primariamente por meio de uso de gráficos, com o objetivo de prever as tendências futuras de preços.

A análise técnica não tem como objetivo conseguir identificar o tempo todo cada mudança do mercado. Esse seria um sonho impossível. O objetivo da análise técnica é a interpretação da ação do mercado para tentar antecipar os movimentos futuros dos preços, com uma probabilidade maior.

A análise técnica é como outras expertises: pouco conhecimento sem experiência pode ser perigoso para a saúde e seu bolso”, aponta o autor.

Então se quiser aprender mais sobre o assunto, consulte o livro Análise Técnica dos Mercados Financeiros.

Esperamos que você tenha gostado de entender como funciona a Análise Técnica dos Mercados Financeiros por Flávio Lemos! Que tal conferir também nossa entrevista com o autor e diplomata Celso Amorim?

Você também pode gostar

Artigos em destaque