Como alcançar e promover a boa saúde mental no trabalho?

Saiba como promover o bem-estar e felicidade no ambiente de trabalho!
Saúde mental no trabalho: mulher empata

Você já parou para pensar na importância de preservar a saúde mental no trabalho? Essa discussão vem ganhando espaço dentro e fora das empresas ao redor do mundo graças aos impactos sociais, econômicos e profissionais que o espaço e a cultura laboral podem ter sobre os colaboradores.

Pense nestes dados: de acordo com a OMS, o Brasil conta, hoje, com mais de 11,5 milhões de pessoas diagnosticadas com depressão. Esse número aumenta quando pensamos na ansiedade: 18,6 milhões de brasileiros sofrem com o transtorno mental. 

Paralelamente, uma pesquisa realizada pela International Stress Management Association (Isma-BR) identificou que cerca de 44% da população economicamente ativa no Brasil sofre com o burnout — a sensação de esgotamento completo causada principalmente pelo estresse no trabalho. Você consegue enxergar a relação entre as duas coisas? 

Olhar para esses números pode parecer um pouco assustador. Afinal, nós estamos acostumados com a cultura de que o trabalho sempre é uma fonte de estresse para os colaboradores. No entanto, isso não significa que essa relação seja saudável, ou deva ser aceita sem questionamento.

Os transtornos mentais e comportamentais são uma das principais causas de perdas de dias de trabalho. Eles também geram custos altíssimos para as empresas, que precisam agir em prol dos colaboradores ou mitigar os danos causados pela falta de planejamento.

Por isso, falar sobre saúde mental no trabalho se torna cada vez mais fundamental. Se você quer se aprofundar um pouco mais nesse assunto, continue lendo este texto!

Como a saúde mental influencia no trabalho?

O trabalho faz parte da construção de uma rotina saudável e oferece uma série de benefícios psicológicos. Realizar tarefas de maneira ordenada e ter funções claras ajuda a construir uma maior sensação de estabilidade, de segurança e de valor próprio.

No entanto, quando o ambiente laboral não promove as condições ideais para os seus trabalhadores, os efeitos podem ser bastante negativos. Desde a sensação de desmotivação até verdadeiras crises de burnout ou de pânico, a relação entre saúde mental e trabalho acaba sendo muito mais intrincada do que podemos imaginar.

Para entender melhor como esse relacionamento se estrutura, basta imaginar as horas que gastamos no trabalho. Em uma rotina tradicional, de oito horas por dia no escritório, são cerca de mil horas mensais, 1.200 horas em um ano. Multiplique isso pelo tempo mínimo de contribuição para a aposentadoria: são mais de 42 mil horas de trabalho

Agora imagine um colaborador exposto a um ambiente laboral que não atende às suas necessidades profissionais mais básicas. Imagine que ele se sinta desmotivado a ir, ou que não consiga realizar suas funções devido a problemas de gestão e de recursos.

Some a isso os fatores que estão naturalmente associados ao trabalho: a insegurança e a dependência do emprego para pagar as contas. Como você acha que esse colaborador insatisfeito aguentará 42 mil horas de trabalho? Não é muito provável que, em algum momento, ele simplesmente não consiga mais fazer um bom serviço?

É dessa maneira que a saúde mental começa a influenciar no trabalho. E não é só na execução das tarefas. Se um funcionário trabalha mal, acaba afetando todo o seu time e, até mesmo, setor.

Estamos falando também de desperdício de recursos, insatisfação profissional e maior rotatividade de colaboradores. A maior parte dos gastos no ambiente de trabalho acaba sendo indireta: serve para resolver problemas, em vez de evitá-los. E essa conta, quando falamos de saúde mental, acaba ficando muito alta: de acordo com a OMS, os gastos chegam a um trilhão por ano.

Vale pontuar, por fim, que um ambiente de trabalho que proporciona cuidado com a saúde mental costuma ter redução de absenteísmo (faltas ao trabalho), aumento de produtividade e redução de custos paliativos.

Leia também: Como lidar com a ansiedade?

Quais fatores influenciam na saúde mental no trabalho?

Para garantir que o negócio não sofrerá os impactos de ter uma rede de colaboradores que luta com a saúde mental no trabalho, é preciso reconhecer os fatores que podem contribuir para a piora desses problemas. De modo geral, eles estão relacionados a questões organizacionais e de gestão. 

Pesquisas de diferentes áreas apontam que alguns dos fatores mais comuns são:

  • A falta de recursos para realizar tarefas, sejam eles recursos materiais ou ferramentas e equipe com número satisfatório de colaboradores;
  • A falta de apoio durante a realização de tarefas, seja de pares, gestores e/ou líderes;
  • Problemas de comunicação entre colegas de trabalho e, mais comumente, entre a gestão/liderança e outros funcionários;
  • Participação limitada dos colaboradores na tomada de decisão, sobretudo aquelas diretamente ligadas à sua rotina de trabalho;
  • Sobrecarga de funções, devido ao baixo número de pessoas trabalhando na equipe ou setor ou devido à falta de substituição de funcionários que deixaram a empresa;
  • Má remuneração, tanto comparada ao mercado de trabalho quanto comparada aos custos de vida básicos do colaborador.

Outros problemas podem incluir a falta de apoio e transparência para execução das tarefas, a baixa quantidade ou ausência de benefícios e a ausência de um plano de carreira e de novos desafios.

Como a pandemia afetou a saúde mental no trabalho?

Nos últimos anos, o mundo atravessou a pandemia da Covid-19, que mudou as dinâmicas de trabalho de forma permanente. Uma dessas mudanças se traduz, por exemplo, na ampliação das vagas remotas e na construção de uma rotina de trabalho mediada pela tecnologia.

No entanto, a pandemia também gerou uma série de impactos negativos para os colaboradores das empresas. Segundo os dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, houve mais de 576 mil afastamentos em 2020, número que supera em 26% os dados de 2019.

Além disso, a depressão e a ansiedade foram os principais motivos para a solicitação do auxílio-doença. Nesses casos, houve um aumento de 33,7% — o que equivale a mais de 285 mil pedidos.

Embora o cenário da pandemia já tenha sido superado e a rotina de trabalho, na maioria das empresas, tenha se regularizado, esses impactos não são “deixados para trás” com facilidade. O retorno ao trabalho presencial pode ser uma fonte de estresse, e os sentimentos de insegurança e ansiedade ainda estão presentes no cotidiano dos trabalhadores.

Por isso, é fundamental que as empresas criem novas técnicas para identificar e atender às necessidades de seus trabalhadores. Seja por meio da flexibilização de rotinas de trabalho ou a partir de maior suporte psicológico, a atuação no cenário deixado pela Covid-19 deve ser permanente.

Aproveite para entender: Educação pós-pandemia: cenário e como superar os desafios na IES

Como cuidar da saúde mental dos colaboradores?

Uma vez que a relação entre a saúde mental e o trabalho pode ter efeitos negativos na qualidade dos serviços prestados pelos colaboradores, torna-se papel da empresa optar por ações que visem a mitigar esses riscos e problemas

Para isso, é preciso levar adiante uma série de iniciativas que atravesse todos os setores de trabalho e que tenha como principais objetivos:

  • Reduzir os fatores de risco relacionados ao trabalho, o que só pode ser feito quando há comunicação transparente;
  • Entender as oportunidades e necessidades dos colaboradores, tanto em termos coletivos quanto em termos individuais, promovendo o seu reconhecimento e a sensação de que eles estão sendo ouvidos;
  • Desenvolver aspectos positivos do trabalho, como a sensação de estar colaborando para o crescimento da empresa e para a melhoria da qualidade de vida dos clientes.

No cenário ideal, os colaboradores de um negócio devem se sentir apoiados e seguros para pedir ajuda

Da mesma maneira, gestores e lideranças devem contribuir, primeiro, para a promoção da saúde. E, só então, para o aumento da produtividade e dos lucros da empresa. Para entender melhor como fazer uma gestão mais eficiente, você pode conferir o nosso guia para aperfeiçoar a gestão de pessoas!

Veja, abaixo, alguns exemplos de iniciativas que ajudam a promover esses sentimentos nos colaboradores.

  1. Reforce uma cultura que promove a saúde mental;
  2. Estimule uma produtividade saudável;
  3. Tenha um RH ligado aos colaboradores;
  4. Ofereça benefícios focados na saúde mental.

1. Reforce uma cultura que promove a saúde mental

A cultura empresarial é o pilar a ser seguido por todos os funcionários de uma empresa. A maneira como ela é construída e passada de colaborador para colaborador afeta todo o clima organizacional do negócio. 

Por isso, é importante reforçar que a cultura da empresa está baseada na promoção de saúde mental. Para isso, algumas alternativas são investir na capacitação de gestores e lideranças, promover rodas de conversa e conscientização sobre o assunto e criar um ambiente seguro para os funcionários que lidam ou podem lidar com essas questões.

2. Estimule uma produtividade saudável

A cobrança pela produtividade é um dos fatores que mais altera o nível de estresse dos funcionários. Se a sua empresa deseja promover mais saúde mental no trabalho, é necessário estimular uma produtividade que não exija do colaborador mais do que ele pode oferecer.

Isso significa construir um ambiente de trabalho com horas e tarefas bem estabelecidas, com uma cultura de feedbacks e com metas bem construídas. Quanto mais claro ficar para o colaborador quais são as suas responsabilidades e prazos, melhor ele poderá organizar as suas tarefas para entregar bons resultados.

3. Tenha um RH ligado aos colaboradores

A equipe de recursos humanos de uma empresa não deve estar alheia aos demais funcionários que compõem o negócio. Ao contrário: é seu papel estar profundamente conectada aos colaboradores, compreendendo as suas dores e traçando maneiras de solucionar problemas.

Essa relação mais próxima pode ser promovida tanto por meio de conversas recorrentes entre o RH e os demais setores quanto a partir de pesquisas de clima empresarial. De toda maneira, é importante que os colaboradores se sintam à vontade para recorrer ao time sempre que necessário.

4. Ofereça benefícios focados na saúde mental

Mais do que falar sobre saúde mental no trabalho, é importante construir maneiras eficazes de promovê-la. Uma delas é a oferta de benefícios que tenham impacto positivo comprovado na saúde mental.

Para além de fatores financeiros (salário competitivo, vale-alimentação, reajustes etc.), distúrbios mentais e comportamentais podem ser intensificados devido a um estilo de vida sedentário, por exemplo. Nesse sentido, promover incentivos físicos também é uma maneira de aumentar a saúde mental no trabalho.

O acompanhamento com profissionais especializados também pode ser oferecido pela empresa. Assim, garante-se a criação de um ambiente seguro e privado para os funcionários.

Quais os benefícios de cuidar da saúde mental no trabalho?

Como mencionamos ao longo deste conteúdo, a saúde mental no trabalho é um tema que pode impactar positiva ou negativamente um negócio. Já está claro que os seus efeitos adversos são bastante prejudiciais para a rotina de toda a empresa, mas quais são os benefícios de um bom ambiente laboral?

Em primeiro lugar, deve-se citar a melhoria na qualidade de vida dos funcionários. Ela se deve, sobretudo, à redução dos fatores que contribuem para o estresse, o que proporciona mais saúde mental e física. 

Podemos citar também a redução de custos paliativos para as empresas. Dados da OMS indicam que esses custos podem chegar a 1 trilhão por ano, e são, em geral, evitáveis. O investimento em saúde mental no trabalho faz com que os gastos com colaboradores ausentes e com os impactos dessas ausências seja reduzido.

Outro ponto positivo é o aumento da produtividade dos colaboradores da empresa. O investimento em saúde mental no trabalho faz com que os funcionários se sintam mais dispostos, ouvidos e prontos para trabalhar. Além disso, impacta diretamente na sua motivação e na sensação de felicidade que o ambiente laboral proporciona.

Por fim, podemos citar a melhoria do clima organizacional. A promoção de saúde mental cria um ambiente melhor para todos os trabalhadores, coletivamente. Ações de melhoria da comunicação e gestão também contribuem para um clima mais amigável e sem conflitos, o que reduz o estresse e melhora a qualidade do trabalho.

Agora que você já entende o impacto da saúde mental no trabalho, não deixe de conferir os principais livros para ansiedade e aprender mais sobre um dos transtornos que mais afeta o desempenho dos colaboradores. 

Você também pode gostar

Artigos em destaque