Conheça a importância e a história do Dia do Livro Didático!

Conheça a história e importância do Dia Nacional do Livro Didático para a educação. Leia o artigo completo!
dia do livro didático: menina estudando com livro em sala de aula

No Brasil, temos diversas datas que usamos para comemorar algo específico. Mesmo que não se trate de feriado, tiramos alguns dias para celebrar pessoas, causas, lugares e até mesmo objetos importantes.

Dentro da educação também existem dias importantes, como por exemplo o de cada curso de uma instituição de ensino. Outra data importante é o Dia Nacional do Livro Didático, que valoriza esse importante recurso de aprendizagem.

Para falar mais sobre essa data – que costuma passar despercebida, tanto na sociedade quanto nas instituições – criamos este texto. Aqui você verá quando é o Dia Nacional do Livro Didático, a importância e história deste recurso fundamental para o ensino, além de dicas do que se pode fazer para comemorar. Boa leitura!

Quando é o Dia Nacional do Livro Didático?

Comemoramos o Dia Nacional do Livro Didático em 27 de fevereiro, data estabelecida desde 1929. Em nosso país, esse recurso é extremamente importante para a educação, sendo uma das principais bases para o processo de aprendizagem dos alunos e uma espécie de guia para os professores.

Aqui, o livro didático se destaca no ensino básico público, que engloba a educação infantil e os ensino fundamental e médio. De acordo com dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), em 2020, houve uma aquisição bilionária deste material. Confira:

Etapa de EnsinoEscolas BeneficiadasAlunos BeneficiadosTotal de ExemplaresValor de Aquisição
Educação Infantil17.0693.204.74828.407R$ 749.606,65
Anos Iniciais do Ensino Fundamental88.67412.337.61471.816.715R$ 458.638.563,27
Anos Finais do Ensino Fundamental48.21310.197.26280.528.321R$ 696.671.408,86
Ensino Médio19.2496.270.46920.198.488R$ 234.141.456,77
Total Geral  123.34232.010.093172.571.931R$ 1.390.201.035,55

No ensino superior, o livro didático também desempenha um papel fundamental. Mesmo que ele não tenha os mesmos holofotes dos anos iniciais de educação, ele se mantém crucial para a aprendizagem.

Como a graduação é um momento que aborda o viés da educação em parceria com o do trabalho, ter conhecimento técnico de qualidade é básico. Assim, os livros didáticos se traduzem como importante fonte do saber, dentro e fora das salas de aula.

Leia também: 12 melhores livros para concursos públicos. Confira!

Conheça a evolução histórica do livro didático no Brasil

Apesar de ser amplamente reconhecido e valorizado hoje em dia, o livro didático percorreu um longo caminho para chegar onde está. Desde que chegou aqui, passando para quando começou a ser produzido e difundido, temos uma história que conta com alguns séculos!

Para que você entenda melhor como evoluiu o livro didático no Brasil, confira a linha do tempo a seguir:

3200 a.C.

Criação dos primeiros livros, pelos sumérios, que escreviam em tabletes de argila, na Mesopotâmia. Os temas variavam entre leis, religião, assuntos administrativos, lendas e algumas poesias.

1450

Caminhando com uma modificação de formato e material, surge a invenção revolucionária do alemão Johannes Gutenberg. A produção de livros ganha agilidade, utilizando a prensa e os tipos móveis.

1808

É o início da história do livro no Brasil, com a vinda da família Real portuguesa. Antes de ser fundada a imprensa régia, com a chegada da máquina impressora no país, ter uma tipografia era crime.

1822

Surgem as primeiras leis educacionais no país, com a Independência do Brasil, em 1822. Nesse momento, se dá início às produções próprias de livros, mas com a falta de papel, muitos eram impressos no exterior. 

Leia também: Qual é a verdadeira importância da leitura?

1920

Inauguração das primeiras fábricas de papel, em São Paulo. É o início da fabricação nacional de livros didáticos, com o surgimento das primeiras editoras deste nicho.

1929

Criação do Insti­tuto Nacional do Livro (INL), com a finalidade de mostrar a importância do recurso. No mesmo ano o INL já estabelece o Dia Nacional do Livro Didático, para 27 de fevereiro.

1930

Criação do Ministério da Educação e Saúde, em 1930. Essa é uma das mudanças trazidas pelo governo de Getúlio Vargas, que mudou inclusive a educação.

1934

Já no governo Vargas, o INL começa a ganhar força. Se deu início a elaboração de um dicionário nacional e uma enciclopédia, além de aumentar o número de bibliotecas públicas.

1937

Criação do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), o programa mais antigo para a distribuição de livros didáticos aos estudantes da rede pública de ensino.

1985

Agora é instituído o Decreto nº 91.542, de 1985. Ele determina que o PNLD deve promover a universalização e melhoria da educação básica, passando, é claro, pelos livros didáticos.

1993 

Melhoria na política voltada aos livros didáticos, trazendo critérios de avaliação dos materiais. São originadas as comissões avaliadoras, com a Portaria 1.130, de 5 de agosto de 1993.

1995

Dado o start para a universalização da distribuição de livros didáticos, ainda que de forma gradativa. No primeiro ano é incluído língua portuguesa e matemática, no seguinte é a vez de ciências e em 1997 os de geografia e história.

1997

Temos a extinção da Funda­ção de Assistência ao Estudante (FAE), transferindo integralmente a política de execução do PNLD para o FNDE. Neste momento, a produção e distribuição dos livros fica contínua e massiva.

2012

Além dos livros impressos, o PNLD inclui materiais multimídia em DVD. Os alunos podem ter acesso a jogos, simuladores e infográficos.

Saiba mais: Veja os benefícios da utilização da multimídia e hipermídia na educação

2019

Indo ao encontro da tecnologia, o PNLD começa com a aquisição de livros digitais. Além da interação com os alunos, esses materiais trazem recursos de acessibilidade.

Confira: Saiba como funcionam os livros digitais da Saraiva Educação

lançamento da benvirá: clique aqui e confira!

Qual a importância do livro didático para a educação? 

Indo da infância até a vida adulta, o livro didático acompanha nosso crescimento. Ele fortalece a educação em diversos âmbitos, trazendo aulas com mais qualidade. Confira 6 de seus principais benefícios:

1. Apontar um caminho para o professor;
2. Trazer conhecimento de qualidade;
3. Otimizar o tempo;
4. Garantir acesso a todo o conteúdo;
5. Fortalecer a leitura; e
6. Democratizar o ensino.

1. Apontar um caminho para o professor

Durante um semestre, não é pouco o conteúdo que o corpo docente irá abordar com os estudantes. Com muito assunto para ser visto, o ideal é que os professores possam ter uma espécie de roteiro para dar seguimento às aulas.

O livro didático oferece isso, uma sequência lógica do conhecimento, apresentando uma ordem de como a matéria pode ser vista. Além disso, os professores ainda podem ficar de olho no conteúdo que falta de acordo com o que está presente na obra e ainda não foi abordado.

2. Trazer conhecimento de qualidade

Com a internet cada vez mais cheia de informação e conhecimento, fica difícil saber o que é de fato qualificado para quem está na graduação. Ao mesmo tempo que os alunos chegam em resultados rápidos, eles podem estar lidando com conteúdos precários.

Os livros didáticos trazem conhecimento de qualidade, escritos por autores renomados. Para o estudante, o ideal é seguir os recomendados pela instituição escolar.

3. Otimizar o tempo

Como complemento do ponto anterior, se a internet tem muito conteúdo, é preciso filtrá-lo. Assim, além de ter que escolher entre muitos sites, é preciso investigar quais são válidos. Com o livro é mais fácil, bastando o aluno ir direto no assunto que ele precisa. 

Leia também: Leitura de qualidade em tempo otimizado: Conheça o Selo Expressa!

4. Garantir acesso a todo o conteúdo

Com o livro didático, além do conteúdo ser de qualidade, ele é completo. O estudante não precisa procurar cada assunto em um lugar, afinal, ele tem acesso a um material rico, que trará tudo que será visto em sua disciplina.

5. Fortalecer a leitura

Infelizmente, o hábito da leitura é baixo em nosso país. E não tem como contornar o problema, pois quem lê menos escreve pior do que quem mantém esse costume.

Na graduação, com uma realidade na qual os estudantes precisam estudar e trabalhar, fica difícil tirar tempo para se dedicar à literatura. Assim, o livro didático pode ser a melhor forma para manter os alunos lendo, garantindo que os profissionais do futuro tenham domínio da linguagem e da oratória.

6. Democratizar o ensino

Por fim, não podemos esquecer que os livros didáticos levam a educação também para aqueles que possuem outras necessidades. Seja físico ou digital, esses materiais podem inserir recursos que trazem acessibilidade para o ensino.

Braile, letras maiores, páginas com outras cores e texto lido em voz alta são alguns exemplos de recursos que possibilitam que pessoas com deficiência (PcDs) também possam estudar. Deste modo, o livro didático dá um passo em direção à democratização do ensino.

O que é melhor, o livro físico ou o digital?

Na medida em que a tecnologia vai avançando, todas as áreas da sociedade vão se transformando com novos recursos. A educação mudou e os próprios livros também, tendo hoje a possibilidade de acessá-los em formato virtual.

Apesar de ambos os modelos terem seus prós e contras, o fundamental é compreender que os dois estão a serviço da educação, e não contra ela. Cada um poderá ser melhor em momentos e para pessoas diferentes, não havendo necessidade de estabelecer uma contradição que não existe.

O mais importante é que, independente do formato, as pessoas possam ter acesso a um livro didático de qualidade. Assim, quanto mais obras tivermos, melhor!

Leia também: Podcast de livros? Confira nossa seleção para escutar agora!

Como promover o Dia Nacional do Livro Didático nas instituições de educação?

Nas instituições escolares sempre que surge uma data importante é interessante que ela seja lembrada. Quando se trata do livro didático, por que não trabalhar seu dia com os estudantes? Algumas ações podem ser realizadas para movimentar toda a comunidade acadêmica. Confira algumas dicas:

1. Sortear obras;
2. Valorizar os melhores resultados;
3. Realizar palestras sobre livros didáticos;

1. Sortear obras

Se estamos falando de livro didático, que tal sortear alguns livros para os estudantes? Além de falar da data, isso movimenta os alunos, que poderão conseguir um material que precisam e que não é tão barato assim.

2. Valorizar os melhores resultados

Além de sortear livros, outra ideia interessante é a de dar alguns exemplares para os alunos que se destacam. Desta forma, além de valorizar quem está indo bem nas aulas, a instituição cria um incentivo para que toda a turma se engaje no ensino.

3. Realizar palestras sobre livros didáticos

Já que é seu dia, nada melhor do que realizar uma palestra reforçando o papel do livro didático, mostrando sua importância para o ensino. É interessante que os alunos vejam exemplos reais de como essas obras impactaram positivamente o ensino brasileiro.

4. Levar autores renomados para conversar com os estudantes

Falar de livro é interessante, mas levar grandes autores que escreveram esses livros é ainda melhor! O estudante poderá ter uma experiência maior ao ter contato com quem criou o material que ele utiliza para seus estudos. Pode ser o momento de sortear alguns exemplares.

5. Estabelecer relações com as editoras

Como as editoras são fundamentais na existência dos livros didáticos, estreitar os laços com elas é uma boa ideia. A instituição pode tentar realizar uma parceria, cedendo seu espaço para que elas se apresentem aos alunos, oferecendo descontos como contrapartida.

6. Criar clubes do livro

Apesar dos clubes do livro serem destinados à literatura e não às obras didáticas, existe um ótimo motivo para investir nessa ação: 

Ao ficar muito tempo fazendo apenas leituras obrigatórias, o estudante acaba perdendo o interesse tanto pelos estudos quanto por ler, nesse contexto ocorre o que chamamos de “ressaca literária”. Assim, incentivá-lo a passar por outros gêneros é também uma forma de melhorar a educação.

Quais são as outras datas importantes sobre livros?

É bem comum vermos as mais variadas datas no ano, sendo celebrados uma infinidade de motivos. No mundo da literatura, também temos alguns dias importantes, sejam nacionalmente ou internacionalmente.

Além do Dia Nacional do Livro Didático, no dia 27 de fevereiro, existem alguns outros que podem ser de interesse. Confira alguns deles:

  • 07 de Janeiro – Dia do Leitor
  • 12 de Março – Dia do Bibliotecário
  • 08 de Abril – Dia Nacional do Sistema Braille
  • 23 de Abril – Dia Mundial do Livro
  • 28 de Abril – Dia da Educação
  • 01 de Maio – Dia da Literatura Brasileira
  • 05 de Maio – Dia Mundial da Língua Portuguesa
  • 15 de Outubro – Dia dos Professores
  • 29 de Outubro – Dia Nacional do Livro
  • 05 de Novembro – Dia Nacional da Língua Portuguesa

Esperamos que você tenha gostado do texto e aprendido bastante sobre o Dia Nacional do Livro Didático. Agora, se você deseja continuar buscando formas de se destacar no meio educacional, conheça as metodologias inovativas e descubra como aplicá-las na educação!

Você também pode gostar

Artigos em destaque