Saiba o que são habilidades socioemocionais e como abordar na educação!

Conheça as principais habilidades socioemocionais e entenda por que abordar a temática na educação. Continue a leitura!
habilidades socioemocionais: imagem de mulheres se abraçando

As habilidades socioemocionais são aquelas relacionadas a aspectos como autoconhecimento, gestão das emoções, comunicação e trabalho em equipe. Elas são fundamentais para o sucesso pessoal e profissional e podem ser ensinadas e desenvolvidas ao longo da vida.

Por que aprender competências socioemocionais?

Aprender as habilidades socioemocionais pode ajudar os indivíduos a se conhecerem melhor, lidarem com suas emoções e se comunicarem de forma eficaz com os outros. Por isso, é fundamental aprendê-las. 

Leia também: Aprendizagem socioemocional com metodologias ativas – Carolina Cavalcanti 

Quais são as cinco habilidades socioemocionais segundo a BNCC?

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é um documento de referência para a elaboração de currículos, criação de planos de ensino e adequação de instituições de educação aos parâmetros do ensino básico no Brasil.

A ideia é que todo aluno tenha acesso a diferentes caminhos formativos com as habilidades acadêmicas e pessoais necessárias para a etapa seguinte, seja de estudos ou profissional.

Ou seja, além de prever temáticas importantes, o documento afirma que há determinadas habilidades que os estudantes devem desenvolver para aprender melhor. O objetivo é aumentar a autonomia e o pensamento crítico do aluno, gradativamente, desde os primeiros anos escolares.

Entre as competências exigidas pela BNCC, estão as habilidades socioemocionais, que beneficiam o processo de aprendizagem. São elas:

  1. Autoconhecimento;
  2. Autogerenciamento;
  3. Tomada responsável de decisões;
  4. Habilidades de relacionamento;
  5. Consciência social.

Todas elas são diferenciais para o aproveitamento de ensino, além de estratégicas no desenvolvimento pessoal e profissional dos alunos.

Por englobarem diferentes aspectos da vida estudantil e cotidiana, essas habilidades podem ser exploradas em diversas frentes.

lançamento da benvirá: clique aqui e confira!

1. Autoconhecimento

Ter habilidade de autoconhecimento significa ter a capacidade de se compreender e conhecer a si mesmo, incluindo seus pensamentos, sentimentos, comportamentos e motivações. 

Isso pode incluir a compreensão de suas crenças, valores, limites e tendências de personalidade, bem como o impacto desses fatores em suas interações com os outros e em sua vida em geral.

No contexto educacional, o autoconhecimento pode auxiliar os alunos a entenderem melhor seus interesses em estudos e carreiras, determinando as melhores atividades extracurriculares e outros recursos.

2. Autogestão

Autogestão é a capacidade de gerenciar e controlar a própria vida e o próprio trabalho. Isso pode incluir a capacidade de planejar, priorizar e alcançar metas. A autogestão também envolve a capacidade de se motivar e manter o foco, bem como de gerenciar o próprio tempo e recursos de forma eficiente.

Uma das características mais importantes da autogestão é a habilidade de estabelecer metas e trabalhar para alcançá-las. 

Isso inclui conseguir definir metas claras e estabelecer um plano de ação para alcançá-las. A autogestão também envolve saber como priorizar tarefas.

Leia mais: Hiperfoco – Chris Bailey 

O desenvolvimento dessa habilidade também envolve a capacidade de lidar com problemas e obstáculos que possam surgir, identificando as causas e criando soluções eficientes.

Para os estudos, a autogestão é fundamental. O aluno que consegue manter a motivação e escolher bem suas prioridades terá mais chance de resultados positivos, evitando questões como burnout e desinteresse nas disciplinas.

3. Tomada de decisões

A tomada responsável de decisões e o pensamento crítico são habilidades fundamentais para o sucesso acadêmico e profissional. 

Saber tomar decisões de forma consciente e fundamentada, e avaliar criticamente as informações, ajuda os alunos a serem mais bem-sucedidos em suas escolhas e a alcançarem seus objetivos.

A tomada responsável de decisões envolve a capacidade de avaliar as opções disponíveis e considerar as consequências de cada escolha. Também está ligada à responsabilização pelas consequências das decisões e ao aprendizado com as escolhas feitas.

O pensamento crítico é essencial para a avaliação e interpretação das informações. Ele permite que os alunos questionem o que é dito e escrito, ajudando a identificar informações relevantes e precisas. 

Além disso, possibilita que os alunos desenvolvam opiniões próprias e fundamentadas e questionem as ideias aceitas. Isso é particularmente importante na era da informação, em que a quantidade de informações disponíveis pode ser desafiadora e confusa, o que pode gerar confusão na assimilação de conteúdos não verossímeis.

Sendo assim, desenvolver essas habilidades permite que os alunos sejam mais independentes e autônomos, tomem decisões e resolvam problemas de forma eficaz. Isso é essencial para o sucesso acadêmico, pois eles precisam ser capazes de pesquisar e avaliar informações, realizar tarefas e projetos, assim como tomar decisões informadas. 

Elas também são importantes para o sucesso profissional, pois trata-se de habilidades altamente valorizadas no mundo dos negócios e na vida profissional.

Por fim, a habilidade de pensar criticamente e tomar decisões responsáveis, juntamente com a capacidade de se autorrefletir e se autorregulamentar, é fundamental para a formação de indivíduos mais conscientes de seu impacto social e ambiental e com maior capacidade de contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e equitativa.

4. Relacionamentos interpessoais

Desenvolver habilidades de relacionamento interpessoal no ensino superior é importante por várias razões. Em primeiro lugar, as habilidades de relacionamento interpessoal são essenciais para a comunicação eficaz e a colaboração em equipe, o que é importante tanto dentro quanto fora da sala de aula. 

A capacidade de ouvir ativamente, compartilhar ideias e trabalhar em conjunto com os colegas de classe é fundamental para o sucesso acadêmico e profissional.

Além disso, as habilidades de relacionamento interpessoal são importantes para o desenvolvimento social e emocional. Conseguir se relacionar de forma eficaz com os outros é uma parte importante da formação de indivíduos saudáveis e equilibrados. 

Aprender a se comunicar de forma clara e construtiva, a lidar com conflitos e a construir relações positivas pode ajudar ainda os alunos a se sentirem mais seguros e confiantes, lidando melhor com as pressões e desafios da vida.

Confira também: 10 livros de desenvolvimento pessoal para presentear

As habilidades de relacionamento interpessoal também são importantes para o sucesso profissional. As habilidades de comunicação e colaboração são altamente valorizadas no mundo dos negócios e em praticamente todas as áreas profissionais. 

A capacidade de se relacionar de forma eficaz com colegas de trabalho, gerentes e clientes é chave para o sucesso no ambiente de trabalho e para a progressão na carreira.

5. Consciência social

Ter consciência social significa ser consciente das questões sociais e ambientais que afetam a sociedade e se comprometer a fazer a sua parte para construir uma sociedade mais justa e equitativa

A consciência social inclui a compreensão de como as desigualdades sociais e econômicas afetam as pessoas e como a tomada de decisões individuais e coletivas podem contribuir para mudar essas desigualdades.

O ensino superior pode contribuir para o desenvolvimento da consciência social dos alunos de várias maneiras. Em primeiro lugar, pode fornecer uma educação crítica e interdisciplinar, que os ajude a compreender as raízes das desigualdades sociais e a se questionar sobre sua própria participação nelas. 

Isso pode ser feito por meio de cursos, projetos de pesquisa, atividades extracurriculares e outras oportunidades que permitam aos alunos se aprofundarem em questões sociais e ambientais.

Além disso, o ensino superior pode incentivar a participação dos alunos em atividades comunitárias e projetos de voluntariado, que os ajudem a se envolver diretamente com as questões sociais e a contribuir para a construção de soluções. Essas atividades podem ser realizadas em parceria com organizações da comunidade local ou com outras instituições de educação superior.

Indo além, o ensino superior também pode fornecer aos alunos as habilidades e conhecimentos necessários para contribuir para a mudança social. Isso pode incluir habilidades de liderança, comunicação, negociação, resolução de conflitos, além de conhecimentos e ferramentas de design de projetos e inovação social.

Leia mais: Temas de Direitos Humanos – Flavia Piovesan

Por fim, o ensino superior pode contribuir para a consciência social ao estimular a reflexão e o diálogo sobre as questões sociais e ambientais e como elas afetam a comunidade acadêmica e as comunidades vizinhas. 

A construção de um ambiente educacional em que os alunos possam se expressar livremente, ouvir perspectivas diferentes e colaborar para a solução de problemas sociais é uma forma de fortalecer a consciência social. 

Como abordar a temática na educação superior?

Existem diversas maneiras de ensinar habilidades socioemocionais na educação superior. Uma das principais é por meio de atividades práticas e experiências de aprendizagem que permitam aos estudantes aplicar o que aprenderam em situações reais. Isso pode incluir atividades em grupo, projetos interdisciplinares, simulações e estágios.

Outra maneira de ensinar habilidades socioemocionais é por meio de programas e treinamentos específicos. Muitas instituições de educação superior oferecem programas e workshops sobre habilidades socioemocionais, como inteligência emocional, liderança e trabalho em equipe. 

Esses programas podem ser oferecidos em parceria com empresas ou organizações externas e podem fornecer aos estudantes oportunidades de aprendizagem prática e de desenvolvimento de habilidades.

Além disso, o ensino de habilidades socioemocionais na educação superior pode ser incorporado nas disciplinas e matérias tradicionais. Por exemplo, professores de literatura ou história podem usar textos e exemplos que abordem temas relacionados à inteligência emocional e à gestão das emoções. 

Isso pode ajudar os estudantes a enriquecer seu conhecimento e a desenvolver habilidades socioemocionais de maneira integrada e sistemática.

5 atividades para desenvolver habilidades socioemocionais

Existem muitos projetos diferentes que podem ser usados em sala de aula para ajudar os estudantes a desenvolverem autoconhecimento, autogestão, habilidades de tomada de decisão, relacionamento interpessoal e consciência social. Alguns exemplos incluem:

  1. Projetos em grupo;
  2. Estudos de caso;
  3. Atividades voltadas para fora do mundo acadêmico;
  4. Autoavaliação;
  5. Prototipagem.

1. Projetos em grupo

Os projetos em grupo podem ajudar os estudantes a desenvolverem habilidades de comunicação e trabalho em equipe, bem como a compreensão das perspectivas e habilidades de outras pessoas.

2. Estudos de caso

Os estudos de caso podem ajudar os estudantes a desenvolverem habilidades de análise crítica e pensamento estratégico, bem como a compreensão das implicações éticas e sociais de decisões empresariais e outras questões similares.

3. Atividades voltadas para fora do mundo acadêmico

As atividades fora da sala de aula, como projetos de extensão ou estágios, podem ajudar os estudantes no desenvolvimento de habilidades de liderança e senso de responsabilidade social, bem como na compreensão das necessidades e desafios das comunidades em que eles vivem.

4. Autoavaliação

Incorporar autorreflexão pode ajudar os estudantes a desenvolverem autoconhecimento e autogestão. Além disso, gera relatórios para que o aluno tenha um ponto de partida nos estudos posteriores.

5. Prototipagem

A prototipagem é uma estratégia importante em sala de aula. Envolve o uso de ferramentas de ensino especializadas para criar um produto ou solução de acordo com a demanda.  Ajuda a desenvolver uma variedade de habilidades socioemocionais, incluindo:

Resiliência

Ao trabalhar em projetos de prototipagem, os estudantes podem se deparar com desafios e obstáculos, mas aprender a persistir e encontrar soluções para superá-los.

Criatividade

A prototipagem envolve pensar fora da caixa e encontrar maneiras inovadoras de abordar problemas, desenvolvendo a criatividade dos estudantes.

Colaboração

A prototipagem geralmente é feita em equipe, e os discentes precisam trabalhar juntos para alcançar seus objetivos. Isso os ajuda a desenvolver habilidades de comunicação, liderança, assim como capacidade de dar e receber feedback.

Solução de problemas

A prototipagem exige que os estudantes identifiquem problemas, pesquisem soluções e as testem, desenvolvendo habilidades de solução de problemas. Também ensina-os a gerenciar seu tempo e seus recursos de maneira eficaz, bem como a priorizar tarefas e fazer gestão de riscos.

Autoconfiança

Ao criarem protótipos e vê-los funcionar, os estudantes podem desenvolver autoconfiança em suas habilidades e na sua capacidade de realizar projetos bem-sucedidos.

Esses são apenas alguns exemplos de projetos e atividades que podem ser usados em sala de aula para ajudar os alunos a desenvolverem essas habilidades valiosas. O importante é que o professor as incorpore em sua metodologia de ensino.

E, então, gostou deste artigo? Continue aprendendo no nosso blog. Aliás, sabia que o desenvolvimento de habilidades socioemocionais é fundamental para uma gestão estratégica? Leia nosso guia completo sobre o tema!

Você também pode gostar

Artigos em destaque