Saiba o que muda com a Reforma Tributária 2023

Na esfera política, a Reforma Tributária 2023 é um dos temas mais debatidos nos últimos meses. Saiba quais são as principais mudanças!
Reforma Tributária 2023: lupa sobre calculadora ao nato de nota de Real

Na esfera política, a Reforma Tributária 2023 é um dos temas mais debatidos nos últimos meses. Esta é uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 45/2019, que objetiva simplificar o sistema tributário nacional.

A PEC foi aprovada pelo Senado em novembro. Como sofreu alterações pelos senadores, ela voltou à Câmara dos Deputados, para ser votada novamente. 

O atual sistema tributário do Brasil é muito complexo. Ele é caracterizado por ter muitos impostos, com regras e alíquotas específicas de acordo com a localidade. Uma reforma é discutida há pelo menos 30 anos.

A Reforma Tributária 2023 quer simplificar o regime, a partir da substituição de cinco impostos de consumo pelo IVA (Imposto sobre o Valor Adicionado). Entre as propostas também estão: a criação de um Imposto Seletivo (IS) e a isenção de impostos sobre a cesta básica.

Neste artigo, você vai entender a fundo a Reforma Tributária. Explicaremos o que é um tributo, as principais mudanças trazidas pela PEC, seus benefícios e quando ela começa a valer. Boa leitura!

O que é tributo?

Antes de entender a fundo a Reforma Tributária 2023, precisamos definir o que é um tributo. Em “Manual de Direito Tributário – 9ª Edição”, Alexandre Mazza afirma:

Com a finalidade de evitar previsíveis divergências doutrinárias na definição do instituto, o próprio Código Tributário Nacional preferiu formular um conceito legislativo de tributo em seu art. 3º. Estabelece o art. 3º do Código Tributário Nacional: ‘Tributo é toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituída em lei e cobrada mediante atividade administrativa plenamente vinculada’” (Mazza, 2023, p.150; destaques nossos).

Em “Curso de Direito Constitucional – 7ª Edição”, o professor Flávio Martins explica que a Constituição Federal estabelece as limitações do poder de tributar, discrimina as espécies de tributo e demarca as competências tributárias.

Por essa razão, a Reforma Tributária é uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC): ela faz alterações na Carta Magna. 

Leia também: Os 20 melhores livros de Direito

Banner livros digitais: clique para acessar!

O que muda na Reforma Tributária 2023?

De acordo com o governo federal, a Reforma Tributária (PEC 45/2019) tem por objetivo simplificar o sistema tributário brasileiro, permitindo o crescimento econômico sustentável a longo prazo.

O atual sistema de impostos é muito complexo: temos diferentes tributos federais, estaduais e municipais, com regras específicas e alíquotas distintas, de acordo com a localidade. 

Isso traz uma série de problemas para todo o sistema envolvido: em sua organização financeira, as empresas precisam de diversos funcionários para cuidar da questão tributária, e, mesmo assim, podem enfrentar problemas judiciais. 

Dessa forma, uma reforma é debatida há pelo menos 30 anos no Brasil. 

O que muda na prática? A proposta é simplificar a cobrança, não aumentando, nem reduzindo a carga tributária. Logo, a Reforma Tributária altera a maneira como pagamos impostos, facilitando o processo para os diversos negócios

Na lista abaixo, confira seus principais pontos:

  1. Criação do IVA;
  2. Imposto Seletivo;
  3. Cesta básica isenta de impostos.

Entenda em detalhes:

1. Criação do IVA

A principal mudança trazida pela Reforma Tributária é a substituição de cinco impostos sobre consumo, que incidem sobre todos os produtos e serviços. São eles:

  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) – federal;
  • Programa de Integração Social (PIS) – federal;
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) – federal;
  • Imposto sobre Serviços de qualquer natureza (ISS) – municipal;
  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) – estadual.

Todos esses tributos serão substituídos pelo Imposto sobre o Valor Adicionado (IVA). No Brasil, teremos um IVA dual, isto é, dividido em dois:

  • Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS) – federal;
  • Imposto sobre Bens e Serviços (IBS) – estadual e municipal.

O IVA terá regras iguais em todo o Brasil. Ele terá uma alíquota-padrão e outra diferenciada, de modo a atender setores como a saúde. Isso será definido na fase de regulamentação do imposto.

Na atualidade, mais de 170 países adotam o IVA, como, por exemplo, Chile, Argentina, Austrália e diversos membros da União Europeia.

2. Imposto Seletivo

A Reforma Tributária 2023 também prevê a criação do Imposto Seletivo (IS), de competência federal.

Este tributo terá uma alíquota mais alta e incidirá sobre produtos que são nocivos à saúde ou ao meio ambiente. É o caso, por exemplo, de bebidas alcoólicas e cigarros.

3. Cesta básica isenta de impostos

Outro ponto relevante da reforma diz respeito à cesta básica. Ela propõe a criação de uma Cesta Básica Nacional de Alimentos, isenta de tributos

Ou seja, o IVA seria reduzido a zero para esses produtos. A definição de quais alimentos vão compor a cesta será determinada por uma lei complementar. De todo modo, a ideia é que produtos como arroz e feijão fiquem isentos de tributação.

Como está a Reforma Tributária hoje?

Atualmente, a Reforma Tributária está em tramitação no Congresso Nacional.

No dia 8 de novembro, o Senado aprovou o texto-base da reforma. Entretanto, como os senadores fizeram alterações na PEC, ela teve que voltar à Câmara dos Deputados.

Assim, os deputados vão decidir se aprovam o texto, após as mudanças. A expectativa é que a tramitação seja concluída ainda em 2023.

Em novembro, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que a Reforma Tributária deverá ser promulgada em 2023

Veja também: Os 7 melhores livros de economia

Quais são os benefícios da Reforma Tributária?

Entre os principais benefícios proporcionados pela Reforma Tributária estão:

  • Simplificação do sistema tributário: com a reforma, cinco impostos serão substituídos pelo IVA. Isso fará com que o recolhimento pelas empresas se torne mais ágil, simples e eficiente, diminuindo a sonegação e prejuízos com questões jurídicas;
  • Crescimento econômico: segundo um estudo do Ipea, a reforma pode gerar crescimento de 2,39% no PIB brasileiro até 2032, se comparada com o cenário econômico do regime tributário atual;
  • Barateamento de produtos essenciais: como vimos, a PEC prevê isenção de tributos em alimentos da cesta básica. Com isso, produtos essenciais para a alimentação do brasileiro ficariam mais baratos.

Quando começa a valer a Reforma Tributária?

Se aprovada, a Reforma Tributária tem um longo período de implementação. Isto é, ela não começa a valer imediatamente.

A proposta define um período de transição entre 2026 e 2032. Sendo assim, a partir de 2033, os atuais impostos de consumo serão extintos completamente.

Esperamos que você tenha gostado deste artigo sobre a Reforma Tributária 2023. Continue no nosso blog, e confira este post com os 18 melhores livros de contabilidade!

Você também pode gostar

Artigos em destaque