Entenda como a Apple mudou após a morte de Steve Jobs

Conheça mais sobre a história de Steve Jobs e o que explica o sucesso da Apple mesmo após a sua morte. Boa leitura!
steve jobs: mulher usando iphone

Você sabe como ficou a Apple após a morte de Steve Jobs? Este empresário de tecnologia foi um dos fundadores desta marca, no final dos anos 1970. Se você tem interesse por temas de informática, ou até mesmo de negócios, provavelmente sabe da importância de Jobs. 

Afinal, hoje em dia, produtos eletrônicos como smartphones, tablets e notebooks, são muito comuns no nosso cotidiano. Jobs foi um dos responsáveis pela popularização desses artigos. Ele conseguiu transformar o ramo da computação, convencendo o público de que os computadores poderiam ser pessoais, auxiliando as pessoas em tarefas do dia a dia.

Assim, suas criações mudaram a relação da sociedade com a tecnologia. Ele é um dos responsáveis por itens como iPod, iPhone, iPad e Macbook, que eram sempre anunciados nas famosas conferências da Apple.

Jobs faleceu em 2011, vítima de um tipo de câncer raro, contra o qual lutava desde 2004. Afastou-se do cargo de CEO da Apple poucos dias antes de sua morte. Com a saída dele, algumas questões ficaram em aberto: seria a empresa capaz de manter sua essência? E, principalmente, quem ficaria no comando?

No livro A Apple após Steve Jobs, o jornalista Tripp Mickle responde a estas questões. Ele conta a história mais recente da Apple, tendo como objeto principal dois personagens relevantes: Jony Ive, o “gênio do design”, e Tim Cook, o “gênio das operações”.

Neste artigo, você vai saber mais sobre a história de Steve Jobs. Explicaremos quem foi ele, o que explica o sucesso da Apple e como a empresa ficou após a sua morte. Boa leitura!

Quem foi Steve Jobs?

Steve Jobs foi um empresário do ramo da tecnologia e um dos fundadores da Apple. A empresa foi criada na garagem dos pais de Jobs, no final dos anos 1970. Ele foi CEO da marca até semanas antes de sua morte, em 2011.

Ao longo dos anos, Jobs desenvolveu produtos que transformaram a vida das pessoas e a relação delas com a tecnologia. Pois, até então, os computadores eram máquinas grandes, usadas apenas por corporações.

Jobs foi um dos responsáveis por mudar essa mentalidade. Ele insistia que os computadores podiam ser pessoais, auxiliando as pessoas em diversas tarefas do cotidiano, servindo como uma espécie de extensão delas.

Dessa forma, foi desenvolvendo produtos que atendiam a estes objetivos. Entre suas características, estava também a de saber fazer um bom marketing: ele criava novas demandas, estimulando o desejo por produtos que as pessoas nem sabiam da existência.

Também o apreço pelo design. Seu foco estava na experiência individual: criava produtos simples, de fácil usabilidade, e elegantes. O CEO da Apple tinha um cuidado muito grande com detalhes. Entre os itens criados pela Apple estão: iPod, iPhone, iPad e Macbook, que até hoje são alvos de desejo de muitas pessoas. 

Estes artigos eram divulgados nas famosas conferências da companhia, nas quais Jobs os anunciava, explicando suas características de maneira simples. Isso contribuiu para popularizar o empresário, alçando-o ao status de ídolo pop.

Em 2004, Jobs anunciou que tinha sido diagnosticado com um tipo raro de câncer pancreático. Afastou-se do cargo de CEO da Apple em agosto de 2011, e faleceu em outubro do mesmo ano.

Leia também: 16 livros sobre liderança que você precisa ter na sua biblioteca

Banner livro Jeito Disney de encantar os clientes: clique para acessar!

O que trouxe tanto sucesso para a Apple?

Hoje, a Apple é a maior empresa global por valor de mercado. Em julho de 2023, ela atingiu o valor de 3 trilhões de dólares, a primeira companhia a alcançar tal marca. Para efeito de comparação, apenas 6 países do mundo tiveram um Produto Interno Bruto (PIB) maior em 2022. O que explica este sucesso?

A resposta a esta pergunta não é simples, e envolve uma série de fatores. Em primeiro lugar, estão, é claro, os produtos. Eles prezam por uma usabilidade simples, além do design elegante, e da inovação.

Outro aspecto relevante é o plano de marketing. Como vimos, as conferências comandadas por Steve Jobs se popularizaram, e o empresário explicava o funcionamento dos produtos de modo simples, enfatizando como eles poderiam transformar a rotina das pessoas. 

Todo mundo conseguia entender, e isso despertava o interesse e o desejo de possuir aqueles itens. Dessa forma, a Apple foi estabelecendo uma base de clientes fiéis, que se mantêm até hoje. Eles se identificam e desejam consumir os produtos da marca. 

Confira: Guia completo do empreendedorismo

Como ficou a Apple depois de Steve Jobs?

Em A Apple após Steve Jobs, o jornalista Tripp Mickle conta a história da Apple depois da morte de Jobs. Ele afirma que o futuro da companhia dependia principalmente de duas figuras: Jony Ive e Tim Cook.

Jony Ive era líder do departamento de design, e trabalhava muito próximo a Jobs. Ele participou da criação de produtos como o iPod, iPhone e iPad. Seu trabalho estava muito ligado à inovação e à geração de novos itens. Ele é descrito por Mickle como um artista, que “via poesia nas máquinas”. 

Já Tim Cook era chefe das operações da empresa. Segundo Mickle:

Seu dom estava em inventar maneiras de maximizar as margens, convencendo alguns fornecedores a reduzir os preços e persuadindo outros a construir fábricas do tamanho de cidades para produzir mais unidades” (MICKLE, 2023).

Ele foi convidado para ser CEO da Apple pelo próprio Steve Jobs, quando se afastou do cargo em agosto de 2011. Cook segue como chefe da companhia até hoje.

O jornalista Tripp Mickle afirma que Ive é um gênio do design, enquanto Cook é um gênio das operações. A história da Apple após Steve Jobs envolve uma busca por rentabilidade, priorizando o lucro, no lugar da inovação.

O autor descreve Cook como o oposto de Ive. Sob sua liderança, a Apple se tornou uma das empresas mais valiosas do mundo, mas a falta de inovação e criação de novos produtos geraram estranhamento e críticas. 

Leia também: Está curioso sobre o Metaverso? Entenda o que é e como funciona!

Conheça a obra A Apple após Steve Jobs

Ficou interessado em conhecer detalhes sobre os bastidores da Apple depois da morte de Steve Jobs? Como foi a ascensão de Tim Cook ao cargo de CEO da empresa? O que gerou o afastamento progressivo de Jony Ive da companhia? 

Em “A Apple após Steve Jobs”, obra publicada pela Benvirá, o jornalista Tripp Mickle nos oferece uma visão completa sobre os anos mais recentes desta gigante da tecnologia. Ele se baseia em relatos de primeira mão reunidos ao longo de cinco anos. 

Mais de 200 funcionários da Apple conversaram com o autor, fornecendo perspectivas de todos os escalões da empresa. O jornalista também entrevistou parentes, amigos, colaboradores, concorrentes e funcionários do governo. Além disso, se baseou em décadas de artigos, livros, processos judiciais e outras fontes disponíveis ao público.

O resultado é uma obra completa, que fornece um panorama detalhado da Apple, tendo como centro os principais envolvidos na troca de comando da empresa.

Esperamos que você tenha gostado deste artigo sobre o legado do Steve Jobs. Agora, que tal conferir na íntegra? Adquira a obra A Apple Após Steve Jobs no site da Editora do Direito!

Você também pode gostar

Artigos em destaque