Entenda o que é e conheça as vantagens de ter um banco de dados!

Você sabe qual a importância de um banco de dados na atualidade? Leia o artigo completo e entenda o conceito, vantagens e mais!
banco de dados: mãos sobre notebook

Você sabe qual a importância de um banco de dados na atualidade? Para entender, pare para pensar na necessidade que temos de armazenar informações

Pense em uma empresa, que precisa fazer um registro de todos os seus funcionários, com os dados pessoais e salários. Ou em uma biblioteca, com todas as obras e referências de localização. Um supermercado também precisa do catálogo com todos os seus produtos e as quantidades, não é?

Todas estas atividades envolvem os chamados bancos de dados. Eles foram criados a partir da necessidade humana de registrar e localizar informações. Desde tempos muito antigos, temos uma demanda pelo registro de eventos.

Afinal, se pensarmos nas pinturas rupestres pré-históricas, elas já manifestavam o desejo de se registar eventos do cotidiano. Fazendo um salto na história, as atividades comerciais deixavam evidente a necessidade de armazenamento de dados. 

Por muitos séculos, a principal forma de realizar esta tarefa era por meio do papel. Se você é mais velho, provavelmente se lembra das fichas de cadastro de livros e clientes, ou daquelas de controle de estoque.

Com o avanço da tecnologia da informação, foram finalmente criados os bancos de dados, armazenados em computadores. Na década de 1970, surgiram os sistemas gerenciadores de bancos de dados (SGBD), que são programas especializados nesta atividade. 

Assim, os computadores passaram a armazenar uma grande quantidade de informações. Fazer uma busca em um catálogo se tornou algo simples, e, muitas vezes, ignoramos a existência dos sistemas por trás dele.

Neste artigo, você entenderá o que é um banco de dados, sua finalidade, tipos e vantagens. Além disso, listaremos os softwares mais utilizados na gestão destes sistemas. Boa leitura!

O que é um banco de dados?

De maneira simples, um banco de dados é um conjunto de dados relacionados. Dados são os objetos conhecidos que podem ser armazenados e que possuem um significado implícito. 

Por exemplo, considere todos os livros que você tem na sua casa: os títulos, autores, número de páginas e localização na sua estante. Você pode ter um registro disso em uma agenda, em uma tabela no computador, e até mesmo em um programa ou aplicativo específicos. Este conjunto de dados relacionados, com significado implícito, é um banco de dados.

Em Banco de Dados — Projeto e Implementação, o engenheiro Felipe Nery Rodrigues Machado afirma que todo banco de dados possui as seguintes propriedades:

  • É uma coleção lógica coerente de dados com um significado inerente; uma disposição desordenada dos dados não pode ser referenciada como banco de dados;
  • Ele é projetado, construído e preenchido com valores de dados para um propósito específico; um banco de dados possui um conjunto predefinido de usuários e de aplicações;
  • Ele representa algum aspecto do mundo real, o qual é chamado de minimundo; qualquer alteração efetuada no minimundo é automaticamente refletida no banco de dados” (MACHADO, 2020, p. 18; destaque nosso).
lançamento da benvirá: clique aqui e confira!

O que é um sistema gerenciador de banco de dados?

Um sistema gerenciador de banco de dados é um conjunto de programas que permite que uma pessoa crie e mantenha um banco de dados. Estes softwares facilitam o processo de criação e compartilhamento de bancos de dados entre diversos usuários. 

Qual é a finalidade de um banco de dados?

Os bancos de dados têm por objetivo organizar e estruturar as informações, a fim de que elas fiquem facilmente disponíveis para uma consulta.

Pense, por exemplo, em uma empresa de grande porte, que precisa armazenar informações a respeito de cada um dos funcionários, como os dias trabalhados, salários, entre outros registros. Ter tudo isso armazenado em um banco de dados facilita no momento de fazer pesquisas e buscar informações.

Já no caso de uma compra on-line, é importante que você consiga fazer uma pesquisa rápida em todo o catálogo da loja. Dessa forma, consegue selecionar os produtos que deseja, adicionando-os a seu carrinho.

Portanto, atividades básicas da vida digital só são possíveis graças às funcionalidades de um banco de dados.

Quais são os principais tipos de bancos de dados?

O principal critério de classificação dos bancos de dados é quanto ao modelo de dados em que se baseia o SGBD. Segundo ele, os bancos de dados podem ser divididos em dois tipos:

  1. Bancos de dados relacionais; 
  2. Bancos de dados orientados a objetos.

Entenda cada um em detalhes:

1. Bancos de dados relacionais

No livro Banco de Dados — Teoria e Desenvolvimento, o analista de sistemas William Pereira Alves define:

Um banco de dados relacional se caracteriza por organizar os dados em relações, também conhecidas popularmente como tabelas, que são formadas por linhas e colunas. Assim, essas tabelas são similares a conjuntos de elementos ou objetos, uma vez que relacionam as informações referentes a um mesmo assunto de modo organizado” (ALVES, 2020, p. 30; destaque nosso). 

Portanto, a abordagem relacional faz com que os usuários vejam os bancos de dados como um conjunto de tabelas bidimensionais, originadas em linhas e colunas. Cada coluna representa um tipo de informação associada a uma linha.

Esta proposta foi criada pelo matemático Edgar Frank Codd no fim dos anos 1960, e começou a ser realmente utilizada nas empresas no final da década de 1980. Atualmente, a maioria dos sistemas de gerenciamento de banco de dados usados se enquadra na categoria relacional. 

A SQL (Structured Query Language; em português: Linguagem Estruturada de Consulta) é a linguagem de programação usada pela maior parte dos desenvolvedores de bancos de dados relacionais. 

2. Bancos de dados orientados a objetos

Neste modelo, os bancos de dados são organizados na forma de diferentes objetos, com suas propriedades e operações. Assim, cada um destes objetos contém arquivos e informações, além das instruções para sua leitura e processamento. 

De acordo com William Pereira Alves, este tipo de banco de dados surgiu em virtude da necessidade de armazenamento de dados que não podiam ser retidos pelos sistemas relacionais tradicionais, devido às suas limitações. 

Por exemplo, sistemas de informação geográfica e multimídia — estes últimos precisam armazenar vários tipos de objetos multimídia, como vídeo, áudio, imagens, gráficos e documentos. Logo, os bancos de dados de objeto foram criados para atender às necessidades dessas aplicações mais complexas. 

O que é necessário para ter um banco de dados?

Como coloca William Pereira Alves na obra Banco de Dados — Teoria e Desenvolvimento, são necessários três ingredientes para um banco de dados:

  1. Fonte de informação, a partir da qual se derivam os dados;
  2. Interação com o mundo real;
  3. Público que demonstra interesse nos dados contidos no banco.

Diferença entre dados e informações

Embora, neste texto, utilizemos dados e informações como sinônimos, nos estudos específicos sobre informática, existe uma diferenciação importante entre os termos: 

  • Informação: qualquer fato ou conhecimento do mundo real, que pode ou não ser armazenado;
  • Dado: objeto com significado implícito; isto é, a representação da informação, que pode estar registrada em papel, ou em um computador. 

Alves destaca que os computadores apenas armazenam e processam dados, e não informações. Desse modo, os bancos de dados possuem representações de informações, provenientes de uma fonte, em interação com o mundo real, e a disponibilizam a um público de interesse.

As formas de armazenamento do banco de dados são as mais diversas, como um arquivo gravado em um dispositivo; ou, o que é mais comum, um software especializado, como veremos adiante.

Leia também: Quais os melhores livros de contabilidade? Conheça 18 títulos!

Quais são as vantagens de um banco de dados?

As empresas que utilizam bancos de dados têm como benefícios:

  1. Acessibilidade;
  2. Segurança de dados;
  3. Análises e comparativos;
  4. Assertividade na tomada de decisões;
  5. Melhor relacionamento interno;
  6. Aumento da produtividade.

Compreenda cada item a fundo:

1. Acessibilidade

O primeiro benefício de um banco de dados é a facilidade de acesso a todas as informações de uma empresa. Todos os dados ficam disponíveis, de forma transparente, aos diversos setores da companhia.

Ademais, com a tecnologia em nuvem, os dados podem ser acessados de quaisquer lugares e períodos do dia. Isso é um facilitador, em especial, para as empresas que adotam modelos de trabalho remotos ou híbridos.

2. Segurança de dados

Outra vantagem importante é o aumento da segurança das informações de uma companhia. Os bancos de dados são pensados para ser uma ferramenta segura, contando com mecanismos que garantem a privacidade dos registros

Dessa forma, os dados ficam menos sujeitos a ataques, e possibilidade de perdas. As informações podem ser vistas apenas por pessoas autorizadas, e ficam salvas por meio de backups automáticos.

Este é um benefício importante, em especial com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que regulamenta como os dados pessoais dos clientes são tratados pelas instituições públicas e privadas.

3. Análises e comparativos

Com o grande volume de dados armazenados pelos bancos, as empresas conseguem elaborar relatórios, fazendo análises específicas e comparativos entre períodos.

Isso é essencial para que elas saibam se estão alcançando seus objetivos, e, caso não, reavaliar suas estratégias. Os bancos de dados garantem que os negócios estão tomando o rumo certo. A gestão de projetos da instituição é facilitada, pois os relatórios são aliados importantes no momento do planejamento estratégico.

4. Assertividade na tomada de decisões

Com uma base sólida de dados, as decisões tornam-se mais assertivas, facilitando o trabalho de gestão das companhias. Isto é, os gestores têm em suas mãos todo o histórico de desenvolvimento da empresa, podendo fazer uma análise mais apurada.

Por meio deste processamento de dados, fica mais fácil ter insights sobre o negócio, buscando por inovação, de modo a alcançar os objetivos. As ferramentas de bancos de dados geralmente trazem diferentes visões, gráficos e filtros a respeito dos registros, garantindo que as decisões sejam baseadas na realidade, e não em suposições.  

5. Melhor relacionamento interno

Cada área da empresa pode acessar o mesmo banco de dados, abastecendo-o com suas informações e registros. Isso facilita a integração entre os diferentes setores, evitando ruídos de comunicação.

Todos têm acesso ao mesmo sistema, e dialogam de acordo com esta mesma base. Desse modo, a leitura das situações é mais precisa e a empresa consegue integrar os diferentes times com facilidade. Sabe-se, por exemplo, que o bom trabalho em equipe e a comunicação são pilares da gestão de pessoas

6. Aumento da produtividade

Um bom banco de dados economiza muito tempo dos funcionários de uma companhia, o que contribui para o aumento da produtividade. Todos os números ficam organizados por um software, que é seguro e de rápido acesso.

As rotinas das equipes tornam-se mais ágeis, à medida que a consulta de dados é rápida. Pense, por exemplo, que, em um banco de dados, você consegue fazer uma pesquisa de termos em um tempo muito curto. Agora imagine ter que consultar arquivos e registros em papel, ou planilhas individuais. É evidente o ganho de tempo que o banco de dados proporciona.

Leia também: 8 tipos de inteligência: saiba quais são e por que é importante conhecê-los!

Quais são os bancos de dados mais utilizados?

Hoje existem diversas opções de bancos de dados disponíveis no mercado. É importante que você conheça as suas necessidades específicas, antes de escolher a melhor alternativa. 

Além disso, tenha sempre em mente os tipos de bancos de dados — por exemplo, os relacionais e os orientados a objetos — e as características das informações que você deseja armazenar. 

Se são dados facilmente armazenados em tabelas, os bancos de dados relacionais são ótimas opções. Agora, se são informações mais complexas, com elementos em diferentes mídias, os bancos de dados de objeto são mais eficientes.

Confira na lista abaixo alguns dos bancos de dados mais utilizados:

  • Oracle;
  • Microsoft SQL Server;
  • MySQL;
  • MongoDB;
  • Redis;
  • PostgreSQL.

Esperamos que você tenha gostado deste post sobre banco de dados! Que tal conhecer o nosso guia completo sobre algoritmo?

Você também pode gostar

Artigos em destaque