Erradicação da pobreza: entenda as raízes deste problema e como combatê-lo

Conheça as ações voltadas para a erradicação da pobreza, os principais fatores que compõem o cenário da pobreza no Brasil e mais!
erradicação da pobreza: recorte de papel em formato de garfo, faca e prato em frente a legumes

A pobreza é uma condição humana caracterizada pela privação sustentada ou crônica de recursos, capacidades, escolhas, segurança e poder necessários para o gozo de um padrão de vida adequado e outros direitos civis, culturais, econômicos, políticos e sociais.

A erradicação da pobreza é um dos principais Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.  Apesar disso, trata-se de um processo complexo que requer ações coordenadas em várias áreas. 

Diversos fatores sociais influenciam nos índices de pobreza, incluindo desemprego, falta de acesso à educação e saúde, conflitos armados e desastres naturais. Portanto, a erradicação da pobreza é um processo complexo que requer ações coordenadas em várias áreas. 

Para alcançar esse objetivo, é necessário abordar as causas subjacentes da pobreza e implementar políticas públicas eficazes, que visem à inclusão social e à redução da desigualdade. Além disso, é importante garantir que as pessoas tenham acesso a serviços básicos, como saúde, educação e moradia adequada.

Neste texto iremos abordar o impacto de ações voltadas para a erradicação da pobreza, os principais fatores que compõem o cenário da pobreza no Brasil e os maiores desafios para o seu efetivo combate. Continue a leitura e confira!

Veja também: O que é Economia Circular e qual o papel das empresas

Qual a importância da erradicação da pobreza?

Compreender a importância da erradicação da pobreza é fundamental para alcançar um mundo mais justo e equitativo. A pobreza é uma das maiores ameaças ao desenvolvimento humano, afetando milhões de pessoas em todo o mundo. 

A erradicação da pobreza não é apenas uma questão moral, mas também econômica e social. Isso porque estamos falando sobre um problema que pode ter um impacto negativo na economia global, reduzindo o potencial de crescimento econômico e aumentando a instabilidade financeira.

Contudo, para que se consiga combater a pobreza, de fato, é necessário abordar as suas causas subjacentes e implementar políticas públicas eficazes, focadas na inclusão social e na redução da desigualdade. 

A tarefa não é fácil, mas é possível. Com o comprometimento dos governos, organizações internacionais e sociedade civil, podemos trabalhar juntos para criar um mundo mais justo e equitativo para todos.

Banner livros digitais: clique para acessar!

Quais são os três tipos de pobreza?

Existem diferentes tipos de pobreza, cada um com suas próprias características e causas.  Aqui estão os três tipos mais comuns:

  1. Pobreza absoluta;
  2. Pobreza relativa;
  3. Pobreza situacional.

1. Pobreza absoluta

A pobreza absoluta é caracterizada pela falta de recursos básicos necessários para sobreviver, como água potável, alimentos, abrigo e cuidados médicos. As pessoas que vivem em situação de pobreza absoluta geralmente não têm acesso a serviços básicos, como educação/alfabetização e saúde.

2. Pobreza relativa

A pobreza relativa é definida em relação ao padrão de vida da sociedade em que a pessoa vive. As pessoas que vivem em situação de pobreza relativa têm menos recursos do que a maioria das pessoas em sua comunidade.  A pobreza relativa pode levar à exclusão social e à falta de acesso a serviços básicos.

3. Pobreza situacional

A pobreza situacional é uma forma temporária de pobreza que ocorre quando as pessoas enfrentam dificuldades financeiras devido a eventos imprevistos, como desemprego, doença ou divórcio. A pobreza situacional pode afetar qualquer pessoa, independentemente do nível socioeconômico.

É importante entender os diferentes tipos de pobreza para que se possa desenvolver políticas públicas eficazes para erradicá-los. 

O que diz a Constituição Federal sobre a pobreza?

A Constituição Federal de 1988 estabelece a erradicação da pobreza como um dos objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil. O artigo 3° da Constituição pontua que um dos objetivos da República é erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais”.

Já o artigo 203 da Constituição Federal estabelece que a assistência social será prestada a quem dela necessitar, independentemente de contribuição à seguridade social, e tem por objetivos:

  • A proteção à família, à maternidade, à infância, à adolescência e à velhice; 
  • O amparo às crianças e adolescentes carentes; a promoção da integração ao mercado de trabalho; 
  • A habilitação e reabilitação das pessoas portadoras de deficiência e a promoção de sua integração à vida comunitária; 
  • A garantia de um salário mínimo de benefício mensal à pessoa portadora de deficiência e ao idoso que comprovem não possuir meios de prover à própria manutenção ou de tê-la provida por sua família, conforme dispuser a lei; 
  • A redução da vulnerabilidade socioeconômica de famílias em situação de pobreza ou de extrema pobreza.

Além disso, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios devem instituir Fundos de Combate à Pobreza, com os recursos de que trata o artigo 82 da Constituição Federal e outros que vierem a destinar, devendo os referidos fundos ser geridos por entidades que contem com a participação da sociedade civil.

Qual o dia internacional de erradicação da pobreza?

O Dia Internacional para a Erradicação da Pobreza é comemorado anualmente em 17 de outubro. A data foi oficialmente reconhecida pela primeira vez em 1992 pela Assembleia Geral das Nações Unidas. 

O objetivo do dia é conscientizar a sociedade e os governos de todo o mundo sobre o elevado número de pessoas que ainda estão vivendo na extrema pobreza, expostos à miséria, fome crônica e violência. Vale destacar também que as crianças têm o dobro da probabilidade dos adultos de viverem em pobreza extrema.

A pobreza condena muitas crianças a dificuldades constantes ao longo da vida e perpetua uma transferência intergeracional de privações. Além disso, como reflexo da ambição desenfreada,  as crianças de hoje irão viver com as consequências devastadoras das alterações climáticas.

Portanto, acabar com a pobreza extrema está no cerne dos esforços mundiais para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e construir um futuro sustentável para todos.

Leia também: Saiba o que é gestão de resíduos

Quais são os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU?

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são um conjunto de 17 objetivos estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2015. Eles foram criados para orientar os países na busca por um mundo mais justo, equitativo e sustentável até 20301. 

Os ODS são interconectados e abrangem uma ampla gama de questões, desde a erradicação da pobreza até a promoção da igualdade de gênero e o combate às mudanças climáticas.

Eles foram criados para substituir os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), que foram estabelecidos em 2000 e expiraram em 2015. Os ODM foram bem-sucedidos em muitos aspectos, mas também foram criticados por não abordarem adequadamente questões como desigualdade, mudanças climáticas e sustentabilidade.

Os ODS são uma resposta aos desafios globais enfrentados pelo mundo atualmente. Eles são baseados em três dimensões do desenvolvimento sustentável: econômica, social e ambiental. 

Deste modo, englobam metas como acabar com a pobreza e com a  desigualdade de gênero, garantir o acesso à educação e à saúde, combater as mudanças climáticas e proteger a biodiversidade.

Os ODS são importantes porque fornecem um roteiro claro para os países trabalharem juntos na busca por um mundo mais justo e sustentável. Eles também ajudam a orientar as políticas públicas e os investimentos em todo o mundo.

O que dificulta a erradicação do combate à pobreza?

A erradicação da pobreza é um desafio complexo, que envolve vários fatores. A pobreza é uma condição multifacetada que pode ser causada por desemprego, falta de acesso à educação e saúde, conflitos armados, desastres naturais, entre uma série de outros eventos. 

Ademais, a pobreza é frequentemente perpetuada por sistemas políticos e econômicos que favorecem os ricos em detrimento dos pobres.

A falta de acesso a recursos básicos como água potável, saneamento básico e eletricidade também pode dificultar a erradicação da pobreza, levando ainda a problemas de saúde, falta de oportunidades econômicas e exclusão social.

Confira também: 8 práticas de consumo consciente

Em que parte do mundo há a maior concentração de pobreza?

A maior concentração de pobreza pode ser encontrada na África e na Ásia. Por exemplo, sabe-se que a Nigéria ultrapassou ou está prestes a superar a Índia como o país com o maior número de pessoas vivendo na pobreza. 

Até 2030, quase nove em cada dez pessoas que vivem com US$1,90 por dia ou menos estarão na África Subsaariana. 

Qual a principal causa da pobreza no Brasil?

A má distribuição de renda é uma das principais causas da pobreza no país. A concentração de riqueza nas mãos de poucos indivíduos e empresas tem levado a uma grande desigualdade social, com grande parte da população vivendo em condições precárias.

Outros fatores que contribuem para a pobreza no Brasil incluem:

  • Baixo investimento no sistema educacional;
  • Grande disparidade de trabalho e renda entre as pessoas;
  • Preconceito existente na sociedade;
  • Presença de um grande número de trabalhadores informais;
  • Ausência de políticas de geração de renda. 

A pobreza no Brasil é mais prevalente nas regiões Norte e Nordeste do país. Essas regiões têm enfrentado desafios significativos em termos de desenvolvimento econômico e social.

Desafio do combate à fome

A fome é um problema global que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. De acordo com o relatório Estado da Segurança Alimentar e Nutrição no Mundo 2022, lançado pela ONU, o número de pessoas afetadas pela fome em todo o mundo subiu para 828 milhões em 2021. 

Esse índice representa uma alta de cerca de 46 milhões desde 2020 e 150 milhões desde o início da pandemia de Covid-19 1. 

Trata-se de um problema complexo, que está relacionado à pobreza, podendo ser causado por múltiplos fatores. A maioria das pessoas que sofre de fome aguda em todo o mundo está concentrada em 10 países.

Cenário brasileiro

De acordo com um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a fome no Brasil acomete atualmente 33,1 milhões de pessoas, evidenciando a profunda desigualdade socioeconômica e outros problemas de ordem política e sanitária no país. 

As causas para a fome no Brasil compreendem desde questões sociais e econômicas até políticas, destacando-se as desigualdades sociais, a pobreza, as crises (política, econômica, sanitária) e a má distribuição de alimentos. 

Quais as iniciativas de erradicação da pobreza no Brasil?

Existem várias iniciativas em andamento no Brasil para erradicar a pobreza. O Bolsa Família é um dos programas mais conhecidos do país neste sentido. Ele fornece assistência financeira para famílias de baixa renda, com o objetivo de ajudá-las a superar a pobreza e melhorar suas condições de vida. 

Outra iniciativa importante é o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), que oferece cursos técnicos e profissionalizantes gratuitos para jovens e adultos de baixa renda. 

O objetivo do programa é fornecer habilidades e conhecimentos que possam ajudar as pessoas a encontrar empregos melhores e mais bem remunerados.

O Brasil também tem um programa de habitação popular chamado Minha Casa, Minha Vida, que visa a fornecer moradia acessível para famílias de baixa renda. O programa tem sido bem-sucedido em viabilizar moradia para milhões de pessoas em todo o país.

Além disso, existem várias organizações não governamentais (ONGs) que trabalham em conjunto com o governo para combater a pobreza no Brasil. Essas organizações fornecem assistência financeira, educação, treinamento profissional e outros serviços para ajudar as pessoas a superar a pobreza e melhorar suas condições de vida.

Veja também: Tecnologia e meio ambiente

Ações coordenadas para o combate à pobreza

A erradicação da pobreza é um desafio complexo que requer ações coordenadas em várias áreas. É importante abordar as causas subjacentes da pobreza, além de implementar políticas públicas eficazes que visem à inclusão social e à redução da desigualdade. 

Também é importante garantir que as pessoas tenham acesso a serviços básicos como saúde, educação e moradia adequada. 

Ao longo deste texto, você viu que a erradicação da pobreza é um dos principais objetivos de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas. Mas para alcançá-lo, é necessário trabalharmos juntos para criar um mundo mais justo e equitativo para todos. 

Esperamos que você tenha gostado do nosso artigo sobre a erradicação da pobreza. Agora, continue no blog e descubra tudo sobre o Dia da Saúde e Nutrição!

Você também pode gostar

Artigos em destaque