Tecnologia e meio ambiente: como as inovações podem ajudar o planeta?

Tudo sobre tecnologia e meio ambiente. Confira os impactos do modelo atual de desenvolvimento, o que é tecnologia ambiental e mais!
tecnologia e meio ambiente: pessoa usando tablet em plantação

Tecnologia e meio ambiente podem ser aliados? Esta é uma pergunta muito comum quando se fala do enfrentamento da crise ambiental — tema que é pauta na esfera pública, e preocupação de diversos governos no mundo todo.

Afinal, os impactos dos desenvolvimentos tecnológico e industrial, no modelo atual, são evidentes na natureza. Liberamos uma grande quantidade de gases do efeito estufa (GEE) na atmosfera. 

Eles são consequência principalmente da queima de combustíveis fósseis — como o carvão, utilizado em indústrias, e derivados do petróleo, como a gasolina usada em carros.

Além disso, existem os problemas do desmatamento, dos resíduos plásticos nos oceanos, entre outros. Assim, tem-se repensado os modelos de desenvolvimento, à medida que o atual se torna insustentável para a sobrevivência da nossa espécie no planeta.

Neste contexto, a tecnologia pode ser uma aliada nesta mudança de abordagem, visando ao desenvolvimento sustentável. Pode-se buscar alternativas de meio de transporte, energéticas e de descarte de resíduos. 

As empresas têm cada vez mais pensado em medidas ESG (do inglês Environmental, Social e Governance; em português Ambiental, Social e Governança), frisando a sustentabilidade e a responsabilidade social em suas atividades.

Neste artigo, você vai ficar por dentro do tema de tecnologia e meio ambiente. Explicaremos os impactos do modelo atual de desenvolvimento, o que é tecnologia ambiental, e como ela pode ajudar a preservar nossos recursos naturais. Boa leitura!

Quais são as consequências do avanço da tecnologia para o meio ambiente?

Antes de pensarmos como as tecnologias podem ajudar o meio ambiente, vamos examinar qual é a relação atual deles. 

A Revolução Industrial mudou profundamente a economia, a sociedade e o relacionamento com o meio ambiente. Ela possibilitou um modo de produção em larga escala, e também o aparecimento de novas tecnologias.

Ao mesmo tempo, este modelo econômico, proporcionado por ela, tornou-se insustentável do ponto de vista ambiental. Isto é, por esta via, o desenvolvimento tecnológico não respeita os recursos naturais.

Diversos estudos apontam que este modelo econômico, que é predominante no mundo todo, pode acarretar a escassez dos recursos naturais necessários para manter a vida humana na Terra.

Entre os impactos negativos sobre o meio ambiente, temos:

  • Mudanças climáticas;
  • Poluição do ar e da água;
  • Desmatamento;
  • Erosão do solo;
  • Esgotamento dos recursos naturais;
  • Acúmulo de resíduos plásticos nos oceanos; entre outros.

Leia mais: Saiba o que é pegada ecológica e como calcular a sua

Banner livros digitais: clique para acessar!

Como as mudanças climáticas afetam o meio ambiente?

Hoje, um dos principais fatores da crise ambiental são as mudanças climáticas. Tanto que a ONU (Organização das Nações Unidas) realiza anualmente a COP, uma conferência que reúne os países para debater o tema.

Os efeitos do aquecimento global já são observados por cientistas e até mesmo pelas pessoas em seu cotidiano. Por exemplo, o aumento do nível dos oceanos, a desintegração de recifes de corais, secas e chuvas intensas.

O aumento da temperatura global é causado principalmente pela emissão dos chamados gases do efeito estufa, como o dióxido de carbono (CO2). 

Eles são gerados, principalmente, a partir da queima de combustíveis fósseis, como o carvão e os derivados do petróleo, utilizados em indústrias e meios de transporte; e também pelo desmatamento por queimadas.

De acordo com o livro Sustentabilidade, responsabilidade social e meio ambiente, escrito por Adriana Camargo Pereira, Gibson Zucca da Silva e Maria Elisa Ehrhardt Carbonari, antes da Revolução Industrial, a concentração global de CO2 na atmosfera era de 280 ppm (partes por milhão). 

Em 2005, esse número já era de 379 ppm. A projeção mais otimista para o final deste século é que a concentração suba para 520 ppm. 

Dessa forma, os modelos climáticos estimam que o aquecimento global médio deverá ser de, pelo menos, 1ºC em 2050, podendo chegar a 6ºC. A longo prazo, o aquecimento global compromete a sobrevivência da espécie humana no planeta.

O que é tecnologia ambiental?

Vimos como o modelo industrial impactou negativamente o meio ambiente. Entretanto, hoje se pensa em como as tecnologias podem contribuir para equilibrar a relação entre o ser humano e a natureza.

Neste contexto, entra a tecnologia ambiental, ou tecnologia verde. De maneira simples, ela apresenta inovações para proteger e conservar o meio ambiente, diminuindo os efeitos negativos da atividade humana sobre ele.

Assim, a ideia é mudar o modelo de desenvolvimento: de um que não respeita os ecossistemas e os recursos naturais; para um sustentável

Segundo a ONU, o desenvolvimento sustentável é aquele que encontra as necessidades atuais, sem comprometer a habilidade das futuras gerações de atender suas próprias necessidades. Ou seja, ele gera crescimento econômico, sem esgotar os recursos naturais, e também não ameaça a sobrevivência da espécie.

A Organização também estabeleceu 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que devem ser atingidos até 2030. Entre eles estão alguns que passam pelas inovações tecnológicas para serem concretizados. São os casos da ação contra a mudança do clima, o uso sustentável dos oceanos, e as energias limpas.Dessa forma, as tecnologias ambientais viabilizam ferramentas para concretizar a sustentabilidade.

Como a tecnologia pode ajudar a preservar o meio ambiente?

De que maneira a tecnologia pode contribuir para o meio ambiente? Esta é uma pergunta fundamental para se pensar em inovações. No livro Sustentabilidade, responsabilidade social e meio ambiente, os autores afirmam: 

Inovação e tecnologia são essenciais para se chegar às respostas que envolvem questões cruciais para a sociedade atual: mudanças climáticas, segurança energética e governança global. (…)  

Para conseguir avançar nessa direção, investimentos em pesquisa, desenvolvimento e testes comprobatórios de eficácia de novas tecnologias são urgentes. A Agência Internacional de Energia (AIE) defende que 17 tecnologias-chave serão responsáveis por aproximadamente 80% das reduções em emissões até 2050. 

A lista dessas tecnologias inclui a utilização da biomassa, a melhoria da eficiência dos prédios e dos transportes, dos carros elétricos, da energia solar, o desenvolvimento da nanotecnologia, da biotecnologia etc.” (PEREIRA, SILVA & CARBONARI, 2012, p. 260; destaques nossos).

Dessa forma, os autores defendem a aliança entre tecnologia e meio ambiente para dar respostas à crise ambiental que vivemos na atualidade. 

Na lista abaixo, confira como a tecnologia pode se aliar ao desenvolvimento sustentável:

  • Redução da emissão de gases do efeito estufa (descarbonização);
  • Redução do consumo de energia;
  • Redução dos problemas da eliminação de resíduos;
  • Desenvolvimento de ferramentas para gestão ambiental; entre outros.

Conheça também: O fenômeno das cidades inteligentes – aliando tecnologia e sustentabilidade nos centros urbanos

Quais são as tecnologias que ajudam a preservar o meio ambiente?

Como exemplos de tecnologias ambientais, que aliam inovação com respeito ao meio ambiente, temos:

  1. Carros elétricos;
  2. Fontes energéticas limpas;
  3. Captura de carbono;
  4. Iluminação inteligente e de LED;
  5. Biobaterias; 
  6. Produtos biodegradáveis.

Veja detalhes:

1. Carros elétricos

Os carros movidos à eletricidade são exemplos de como as inovações tecnológicas podem mudar a nossa atual relação com o meio ambiente. Afinal, a queima de combustíveis, como a gasolina, amplamente utilizada pelos veículos comuns, é uma das principais fontes de gases do efeito estufa.

Assim, os carros elétricos zeram as emissões destes gases em sua locomoção, pois são movidos por uma bateria. Evidentemente, em seu processo de produção, os GEEs são liberados. Entretanto, comparativamente aos carros movidos por combustíveis, é uma alternativa mais limpa e sustentável.

2. Fontes energéticas limpas

As fontes energéticas limpas são aquelas que não geram poluentes, e contam com recursos renováveis. O impacto ambiental negativo que elas produzem limita-se à construção das usinas.

Logo, comparativamente aos combustíveis fósseis, como o carvão e os derivados do petróleo, são opções mais sustentáveis. São exemplos de energias renováveis e limpas: 

  • Solar;
  • Eólica
  • Geotérmica;
  • Hídrica;
  • Biomassa;
  • Maremotriz.

As tecnologias entram no momento de viabilizar o aproveitamento energético a partir destas fontes limpas. É o caso da energia solar, por exemplo. Foram desenvolvidos painéis com células fotovoltaicas que convertem a luz solar em energia elétrica. Neste processo, nenhum poluente é emitido, de modo que seu impacto ambiental é baixíssimo.

Outro exemplo é a energia eólica. Neste caso, a tecnologia entrou com o desenvolvimento de aerogeradores, equipamentos parecidos com cataventos, que utilizam a velocidade dos ventos para girar. Em seguida, esta energia mecânica é convertida em eletricidade.

Mais uma vez, trata-se de um processo que não emite poluentes, constituindo-se uma fonte energética limpa.

3. Captura de carbono

A captura de carbono tem por objetivo diminuir a presença do dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. Como vimos, ele é um dos principais gases causadores do efeito estufa, e permanece por 200 anos na atmosfera.

Desse modo, é urgente diminuir a liberação de CO2, pois as emissões atuais terão um impacto de longo prazo sobre o planeta. As florestas são excelentes meios naturais de capturar o CO2, pois o captam e o transformam em oxigênio, no processo de fotossíntese.

A tecnologia ambiental de captura e armazenamento de carbono pode ajudar ainda mais. Por meio dela, o dióxido de carbono é capturado à medida que é produzido, transportado e armazenado em depósitos subterrâneos

Assim, os impactos nocivos da liberação dele na atmosfera não são sentidos. Esta tecnologia encontra como entrave ainda os altos preços envolvidos em sua implantação, o que dificulta a adoção por muitos governos.

4. Iluminação inteligente e de LED

Pequenas inovações tecnológicas no dia a dia das pessoas também podem contribuir para o meio ambiente. A ideia das tecnologias ambientais é que elas não fiquem restritas a ações mais amplas, adotadas pelos governantes, e também façam parte do cotidiano de todos.

É o caso da iluminação. As lâmpadas inteligentes podem ser controladas a distância e também ser programadas para desligar em horários específicos, por meio de aplicativos de celular.

Além disso, existe a possibilidade de acoplar sensores de movimento, principalmente em locais públicos. Dessa forma, as lâmpadas só acendem quando captam a presença de pessoas. Tudo isso contribui para a economia de energia.

A lâmpada de LED é outro caso: ela é menos nociva ao meio ambiente do que as tradicionais. Isso porque elas apresentam maior eficiência energética: produzem mais luz, consumindo menos energia que as lâmpadas incandescentes e fluorescentes.

Assim, elas consomem menos energia, o que as tornam tecnologias mais sustentáveis – pois reduzem custos e a liberação de GEEs.

5. Biobaterias

Outra tecnologia ambiental que vem sendo pesquisada no mundo todo é a biobateria. Ela é capaz de gerar energia a partir da matéria orgânica. Mais uma vez, o que entra em jogo é obter uma fonte energética limpa e renovável.

Pesquisadores brasileiros da EACH-USP (Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo) desenvolveram uma biobateria que é capaz de gerar energia elétrica a partir de esgoto sanitário e efluentes agroindustriais.

Outra biobateria, desenvolvida nos Estados Unidos, utiliza papel e bactérias para gerar energia elétrica. Trata-se de um campo ainda em expansão e alvo de pesquisas, pois as biobaterias ainda geram baixas quantidades de energia.

6. Produtos biodegradáveis

Um dos desafios ambientais enfrentados é a questão do lixo, e do acúmulo de resíduos plásticos no oceano. Nesse sentido, é essencial desenvolver mais produtos biodegradáveis, utilizando-os por exemplo para substituir embalagens e recipientes plásticos.

Os produtos biodegradáveis são rapidamente decompostos na natureza. Eles também são completamente absorvidos, não deixando resíduos de nenhuma forma no meio ambiente.

Em comparação, o plástico, por exemplo, pode levar mais de 400 anos para se decompor.  Ele vai parar, com frequência nos oceanos: segundo um estudo, os mares têm mais de 171 trilhões de partículas de plástico, que juntas pesariam cerca de 2,3 milhões de toneladas.

Desse modo, as tecnologias ambientais auxiliam no desenvolvimento de produtos biodegradáveis, visando a redução desses resíduos que requerem longos períodos para desaparecer.

Esperamos que você tenha gostado deste artigo sobre tecnologia e meio ambiente. Que tal também entender o que é justiça climática, sua importância e princípios?

Você também pode gostar

Artigos em destaque