Conheça os tipos de energia renovável e os principais benefícios de cada um!

Neste texto vamos mostrar a importância da energia renovável, explicando do que se trata e mostrando quais são seus tipos. Confira!
energia renovável: dois homens ao lado de painéis solares

Com as transformações percebidas atualmente no mundo, o meio ambiente se tornou uma preocupação de todos, e não apenas daqueles especialistas em sua defesa. Se falamos de problemas como mudanças climáticas, emissão de CO2 e aquecimento global, a energia renovável nos vem logo à cabeça como uma solução.

No meio de um mundo se desenvolvendo cada vez mais rápido, a natureza se mostra uma fonte de recursos que, infelizmente, não tem sido dada a proteção e o respeito necessários. Muito do crescimento que vemos acontece em razão de uma destruição ambiental que pode se tornar irreversível, com resultados práticos que já estão sendo notados.

Neste texto vamos mostrar a importância da energia renovável, explicando do que se trata e mostrando quais são seus tipos. Continue a leitura e veja como essas fontes estão sendo aplicadas no Brasil e no mundo, além de suas possibilidades para o futuro.

O que é energia renovável e não renovável?

Indo ao encontro de seu nome, a energia renovável é aquela proveniente de uma fonte natural que se reabastece de forma mais rápida do que é consumida, podendo ocorrer de forma espontânea ou com a intervenção humana. Deste modo, elas se tratam de recursos ilimitados ou inesgotáveis.

Também conhecida como energia alternativa, limpa ou verde, as fontes de energia renováveis também se destacam por não gerarem grandes impactos ambientais. Seu uso se dá como opção em relação às não-renováveis, aquelas que emitem muito CO2.

Apesar de também serem encontradas na natureza, as fontes de energia não renováveis são esgotáveis, mesmo que isso demore muito tempo para acontecer. Provenientes dos combustíveis fósseis como carvão mineral, petróleo, gás natural, betume e xisto, sua produção libera diversos gases nocivos para o meio ambiente.

Por mais que a energia renovável seja duplamente positiva, são as não renováveis que lideram a matriz energética mundial. A manutenção de fontes que historicamente dominaram esse cenário é algo que tem preocupado o planeta, sendo uma pauta central da ONU para os países que a compõem. 

Leia também: Já ouviu falar em pegada ecológica? Confira o que é e como calcular!

Banner livros digitais: clique para acessar!

O que são fontes primárias e secundárias?

Para ter um entendimento mais completo sobre energia, além de conhecer as renováveis e as não renováveis, vale a pena saber o que são fontes primárias e secundárias. Conhecendo esse conceito, fica muito mais fácil compreender como se dá o uso de cada tipo.

As fontes de energia primária são aquelas retiradas diretamente da natureza, antes de se transformarem em outras. Aqui estão presentes tanto as renováveis quanto as não renováveis, afinal, ambas são provenientes do meio ambiente, sendo limitadas ou não.

Já as fontes de energia secundárias são aquelas que vem de alguma primária, passando por uma transformação para chegar em seu uso final. Alguns exemplos que temos aqui são a eletricidade, diversos combustíveis e o gás usado em nossas cozinhas.

Esse processo de transformação se dá de diversas formas, como em usinas, refinarias, carvoarias, etc. No Brasil, podemos citar as usinas hidrelétricas, que transformam a energia hídrica procedente do movimento da água dos rios em energia elétrica.

Quais são os tipos de energia renováveis?

Se a matéria prima pode ser utilizada de forma ilimitada, ela se trata de uma energia renovável. Por isso, é possível que com o passar do tempo novas fontes surjam com a inovação constante trazida pela tecnologia.

Atualmente, existem 7 tipos que se destacam. Veja quais são:

  1. Hídrica;
  2. Solar;
  3. Eólica;
  4. Geotérmica;
  5. Biomassa;
  6. Mares e Oceanos;
  7. Hidrogênio.

1. Hídrica

A energia hídrica é obtida através da energia cinética contida no movimento da água, que faz com que as pás das turbinas de suas usinas rodem. Assim, seu gerador transforma esse fluxo das águas de rios em eletricidade.

Mesmo sendo considerada uma energia renovável, as hidrelétricas ainda causam danos ao meio ambiente. Isso se dá com aumento no nível de rios, alagamento de áreas vizinhas às usinas e mudanças no curso dessas águas represadas, o que pode comprometer a fauna e a flora.

Como nosso país possui um número elevado de rios, o Brasil é um dos líderes na utilização dessa fonte energética. Outros destaques no mundo são China, Rússia, Canadá e Estados Unidos.

2. Solar

É a energia eletromagnética gerada através dos raios do sol, seja por meio fotovoltaico ou heliotérmico. Essa fonte pode ser utilizada para produzir eletricidade ou como forma de aquecimento.

A fotovoltaica é obtida através dos painéis, que absorvem a luz do sol e a transforma diretamente em energia elétrica. Por sua vez, a heliotérmica utiliza essa energia para produzir calor, podendo ser utilizada para aquecimento ou ainda ser transformada em eletricidade posteriormente.

É uma das energias renováveis mais limpas, que não traz nenhum impacto ambiental. Apesar de ainda ter um uso baixo comparado a outras fontes, ela se destaca na França, Alemanha, Estados Unidos e Japão.

3. Eólica

A energia eólica é aquela que aproveita o movimento dos ventos, sendo assim disponível em todos os lugares do mundo. Seu funcionamento se dá por aerogeradores, que utilizam a força dos ventos para girar hélices que aproveitam essa cinesia para chegar em uma turbina que aciona seu gerador elétrico.

Por ter uma baixíssima emissão de CO2 e alta disponibilidade, a energia eólica é uma das mais utilizadas entre as renováveis. Alguns países que se destacam são China, Estados Unidos, Alemanha, Índia e Brasil.

Leia também: Veja o que é descarbonização e qual sua importância para o meio ambiente

4. Geotérmica

Aqui já temos o aproveitamento da energia térmica do interior da Terra, onde está seu magma. Pode ser retirada através de águas quentes e vapores, que se transformam em eletricidade ou calor.

A temperatura da água subterrânea é alta o suficiente para ocorrer a ebulição, que impulsiona turbinas que geram eletricidade ou calor. Infelizmente, dependendo de como for obtida, a energia geotérmica pode liberar substâncias tóxicas como dióxido de carbono, amônia e metano.

Essa é uma energia renovável mais difícil de se obter, viável em regiões com potencial geológico, como áreas próximas de vulcões. Sua produção pode ser vista em países como Estados Unidos, Filipinas, México e Indonésia.

Leia também: O que é e qual a importância do ESG?

5. Biomassa

A biomassa utiliza material orgânico para gerar energia, podendo ser de origem vegetal ou animal. Seu funcionamento se dá através da combustão, gaseificação e fermentação da decomposição de plantas, resíduos agrícolas, restos de alimentos, madeira, etc.

Por ter baixa eficiência e ser uma fonte de energia dispersa, é mais utilizada em países pouco desenvolvidos, principalmente da África Subsaariana e da Ásia. Dependendo da forma de sua obtenção pode trazer impactos ambientais.

6. Mares e Oceanos

Semelhante à hídrica, a energia do oceano utiliza a água do mar para gerar energia elétrica. Seu funcionamento ocorre com a movimentação das correntes marítimas e a oscilação das marés.

Como essa fonte de energia renovável ainda é cara, sendo vantajosa apenas para costas com grandes marés, ela ainda é pouco utilizada. De toda forma, ela já é utilizada no Japão, Portugal, Noruega e Reino Unido.

7. Hidrogênio

Por fim, temos a energia do hidrogênio, que é obtida após a combinação do elemento com o oxigênio. Desta forma, é produzido vapor de água, que por sua vez libera energia que é transformada em eletricidade.

Esse processo dá origem a um gás combustível, já sendo utilizado em alguns protótipos de carros movidos a hidrogênio. Sendo relacionada como a energia do futuro, já vem sendo empregada em alguns países como Austrália, Holanda, Alemanha, China, Arábia Saudita e Chile.

Quais as principais fontes de energia utilizadas no Brasil?

Apesar de ainda contarmos com fontes não renováveis, o Brasil é um destaque positivo no uso de energia renovável no mundo. De acordo com a Empresa de Pesquisa Energética, em 2020, nosso país contava com 48,4% de energia sustentável.

Enquanto isso, no mundo todo, a energia renovável ocupa apenas 15% do que é utilizado. Aqui, só a hidrelétrica já soma 11% de nossa matriz!

Se passarmos para uma análise das fontes de energia elétrica, os números brasileiros se tornam ainda melhores. Com os combustíveis fósseis liderando no mundo, o Brasil vai na contramão e produz eletricidade, em sua maioria, com energia renovável, sendo as hidrelétricas responsáveis por 56,8% disso.

Deste modo, o Brasil conta com 82,9% de sua eletricidade vinda da energia renovável, enquanto o planeta possui apenas 28,6 %. Nossas fontes primárias que se destacam são a hídrica, eólica e a biomassa.

Quais são as principais vantagens do uso de energia renovável?

As fontes de energia renováveis estão cada vez mais importantes para o mundo, principalmente quando falamos de proteção ambiental. Neste sentido, a redução da emissão de carbono, em comparação com os combustíveis fósseis, está na linha de frente de suas vantagens.

Entretanto, outros benefícios, como por exemplo se tratar de fontes ilimitadas, também são determinantes para seu uso. Aqui separamos as 7 principais vantagens da energia renovável:

  1. Possibilita o desenvolvimento sustentável;
  2. Traz autonomia energética para os países;
  3. Combate as mudanças climáticas;
  4. Se trata de um recurso inesgotável;
  5. Cria novos empregos;
  6. É mais barata a longo prazo;
  7. Garante o fornecimento de eletricidade.

Confira a seguir:

1. Possibilita o desenvolvimento sustentável

Uma das principais preocupações é em como manter um desenvolvimento sustentável, que consiga mesclar avanços para a sociedade com a proteção de nossos recursos

No nível de desenvolvimento que temos, a produção energética precisa ser cada vez maior e isso, com toda certeza, só poderá se manter com um meio ambiente sofrendo menos impactos.

A energia renovável é a principal resposta quando falamos sobre o que é sustentabilidade. Afinal, ela emite menos gases na atmosfera em sua produção. Além disso, ela provém de bens ilimitados, o que faz com que recursos finitos possam ser mantidos por muito mais tempo.

2. Traz autonomia energética para os países

Quando ficamos reféns das energias não renováveis, muitas nações precisam ter um enorme gasto por não ter acesso aos combustíveis fósseis de maneira fácil. Não é raro acompanharmos notícias de disputas por territórios ricos em petróleo, sem falar nas diversas crises em países que não conseguem sustentar uma matriz energética.

Com a energia renovável os países podem se tornar autônomos nesse ponto, contando com recursos disponíveis a todos, como os raios solares e a força dos ventos. Ainda é possível que eles invistam nas fontes que sejam abundantes em decorrência de suas características geográficas, como rios, mares e vulcões.

3. Combate as mudanças climáticas

Mais um benefício ambiental, a energia renovável é uma solução para reduzir as mudanças climáticas. Petróleo, gás natural e carvão são fontes extremamente poluentes, que geram energia emitindo dióxido de carbono e gases de efeito estufa.

As energias renováveis são menos poluentes, com pouca geração de resíduo. Vale lembrar que é preciso uma produção consciente, mesmo com essas fontes, para não causar danos ambientais.

4. Se trata de um recurso inesgotável

Utilizando energia renovável, não há preocupação com esgotamento destes recursos! As fontes limpas são ilimitadas ou, pelo menos, podem ser repostas com uma velocidade maior do que são consumidas.

Diferente do que ocorre com os combustíveis fósseis, a energia renovável seguirá existindo mesmo sendo utilizada demasiadamente. Assim, aproveitamos os recursos sem se preocupar com uma possível escassez.

Leia também: Entenda o que é justiça climática, qual sua importância e princípios

5. Cria novos empregos

Se estamos falando em implementar novas formas de geração de energia, isso com certeza precisará vir acompanhado da criação de empregos. O país que investe na energia renovável estabelece novos postos de trabalho, seja na construção da infraestrutura ou no trabalho posterior com essas fontes.

A aposta na energia renovável leva emprego, inclusive, para regiões mais afastadas, onde há espaço para que novas matrizes possam ser estabelecidas. Seja direta ou indiretamente, o país ganha com novas oportunidades de desenvolvimento.

6. É mais barata a longo prazo

Depois que já estão bem estabelecidas, a produção de energia renovável se torna mais barata. Deste modo, com uma diversificação de fontes, o consumo de pessoas e empresas fica com preços reduzidos.

Entretanto, precisamos ressaltar que essa economia vem com o tempo. Na maioria dos casos, a adoção da energia renovável tem um custo inicial elevado.

7. Garante o fornecimento de eletricidade

Infelizmente, apagões e racionamento de energia são problemas que ainda são vistos no Brasil e no mundo. Com uma matriz diversificada, se torna bem mais difícil a falta de eletricidade, pois uma fonte poderá substituir outra em momento de escassez.

Para quem tem acesso a energia solar, por exemplo, a eletricidade já está sendo produzida durante o período do dia. Assim, uma combinação de diferentes fontes pode garantir acesso contínuo.

Como você viu neste texto, a energia renovável é extremamente importante quando falamos em um desenvolvimento sustentável. Continue em nosso blog e confira o nosso artigo: Conheça a Fórmula Mágica de Joel Greenblatt e veja 8 dicas de como investir!

Você também pode gostar

Artigos em destaque