Você sabe o que é um clube do livro? Veja tudo sobre o assunto!

Quer saber mais sobre o assunto, entender como criar o seu próprio clube do livro e ainda conferir algumas dicas de leitura? Siga conosco!
clube do livro: imagem de pessoas reunidas discutindo sobre livro

Há momentos em que, ao terminarmos a leitura de um livro, tudo o que queremos fazer é encontrar alguém que leu a mesma obra para compartilhar impressões e somar perspectivas, não é mesmo? 

Bem, é exatamente esta a ideia por trás de um clube do livro, ou clube de leitura. A partir dele, um grupo de pessoas se encontra para discutir sobre um livro que acabou de terminar, expressando ideias e opiniões.

Os membros de clubes do livro costumam selecionar uma obra para que todos leiam dentro de um determinado prazo e, depois, encontrem-se para falar sobre ela. Este encontro pode acontecer tanto em suas casas quanto em espaços como livrarias, cafés e restaurantes. Existe ainda a possibilidade de fóruns online para as discussões.

Quer saber mais sobre o assunto, entender como criar o seu próprio clube do livro e ainda conferir algumas dicas de leitura? Siga conosco!

Veja também: Conheça a obra de Jonas Duarte e saiba por que ter consciência é ter poder!

O que se faz em um clube do livro?

Um clube de leitura pode ser organizado por editoras, livrarias, bibliotecas ou pessoas físicas, como você, a fim de discutir uma obra pré-selecionada e temas ligados a ela.

Trata-se de um clube que proporciona horizontalidade entre os participantes. Diante disso, não envolve o comando de um palestrante ou especialista na obra discutida, de modo que os leitores se sintam livres para compartilharem o que quiserem sobre o livro e as impressões que tiveram ao lê-lo.

É interessante destacar também que muitos clubes operam em recortes, focando em um tipo específico de leitura, como literatura negro-brasileira, feminista ou pautada em determinados estilos de escrita, por exemplo.

Veja também: Leia mulheres: confira 10 autoras incríveis para prestigiar!

lançamento da benvirá: clique aqui e confira!

Como surgiram os clubes de leituras?

Apesar de este tipo de clube ter se popularizado especialmente nas últimas décadas, com o envolvimento de grandes editoras, a sua origem é muito mais remota. Os clubes do livro retomam aos salões literários parisienses, dos séculos XVII e XVIII, e brasileiros, dos séculos XIX e XX.

Entrando mais especificamente em terras tupiniquins, em 2009, uma editora nacional foi pioneira ao criar um projeto de clube do livro ligado ao seu catálogo de obras

A fim de incentivar a leitura e promover a venda de títulos da editora, ela fomentou a criação de clubes de leitura por todo o país, além de oferecer benefícios exclusivos para os seus participantes. Mais adiante, o projeto tomou proporções maiores e surgiram também outros clubes, tanto relacionados a editoras e livrarias quanto organizados por pessoas comuns.

Crescimento de leitura por assinatura na pandemia

Durante a fase de fechamento de serviços não essenciais durante a pandemia de covid-19 e da consolidação dos acervos de livros digitais, os clubes literários por assinatura se expandiram de forma significativa.

Estamos falando de um modelo de negócios desenvolvido para proporcionar comodidade ao leitor, com a proposta de enviar periodicamente, em troca de um pagamento recorrente – geralmente mensal –, um número pré-estabelecido de títulos aos seus associados. 

Apesar de os clubes de assinatura de livros terem começado a aparecer no Brasil em 2011, foi entre 2014 e 2015 que eles se consolidaram, com o compromisso de entregar literatura de qualidade.

Com coleções assinadas por nomes de peso na cultura literária, em 2020, tais clubes atingiram 27% do mercado de clubes por assinatura. De acordo com a Betalabs, uma consultoria especializada em e-commerce. Trata-se de um crescimento de 60% em relação ao ano de 2019.

Segundo matéria da Carta Capital, os clubes literários por assinatura apostaram em segmentações que, até então, haviam sido pouco exploradas pelo mercado editorial mais convencional (ainda que a média de leitura anual dos brasileiros se restrinja a três livros por ano).

Quais são os benefícios da leitura?

A leitura é uma oportunidade acessível de aprimorar o seu  desenvolvimento pessoal e profissional. Ela não precisa estar conectada a livros clássicos ou obras extremamente complexos. Você pode ler livros de ficção, revistas, quadrinhos, notícias, resenhas, artigos de blog… As possibilidades são vastas e atendem a diferentes perfis de leitores.

Além de ampliar o repertório de quem a pratica, a leitura permite que se exercite a empatia e o pensamento crítico. Também ajuda a ampliar o vocabulário e estimula a criatividade.

No livro Leitura e Escrita na Era Digital, o autor Ernani Terra explica que uma palavra que faz parte do vocabulário passivo de alguém pode pertencer ao vocabulário ativo de outra pessoa. 

Por exemplo, enquanto tomografia pode ser uma palavra de seu vocabulário passivo, para um médico, geralmente, faz parte do vocabulário ativo. Neste sentido, a leitura seria capaz de estimular e ampliar o nosso vocabulário passivo.

“Um vocabulário amplo é um elemento facilitador da leitura. Por outro lado, a leitura é o melhor meio de ampliar o vocabulário. Aprendemos palavras para serem usadas na interação, seja no papel de produtores de texto ou de leitores. 

Na fala, em geral, nos valemos de nosso vocabulário ativo; na escrita, o vocabulário passivo é ativado com frequência, seja quando escrevemos, seja quando lemos”, pontua. ( nossos destaques)

Outro fato digno de nota é que a região do cérebro responsável pela leitura está intimamente ligada à área da memória, assim como às da atenção, concentração, visão e linguagem falada. E, quanto mais se estabelecem conexões entre essas áreas, mais elas se desenvolvem.

Para que se tenha uma ideia, o Alzheimer é uma doença degenerativa que afeta primeiramente a memória e, depois, todas as funções cerebrais. Diante disso, ter uma vida mentalmente ativa ajuda a postergar a doença. Neste sentido, a leitura é uma das atividades indicadas.

Várias leituras de um mesmo texto

Ainda no livro Leitura e Escrita na Era Digital, Ernani Terra relaciona o ato da leitura à construção de sentido, muito mais do que a simples decodificação de um texto.

“Ler e leitura são atividades humanas e se inserem no mundo da cultura, particularmente do que se denomina cultura letrada. Isso tem uma implicação importante: ler é algo que se aprende. Diríamos, sem medo de errar, que é um aprendizado contínuo que se estende por toda a vida. 

A leitura tem uma função retroalimentadora, pois quanto mais se lê, mais competente leitor nos tornamos. Ler é um processo interativo, isto é, na leitura, autor e leitor interagem. 

Diferente­mente do que ocorre na interação face a face, em que os parceiros mobilizam as habilidades de falar e ouvir, na leitura, autor e leitor, em geral, não compartilham o mesmo espaço e tempo. 

Ou seja, um texto escrito é produzido por alguém em uma determinada época e local, mas sua recepção ocorrerá em um tempo posterior ao da produção e quase sempre em local distinto daquele em que foi produzido”, explica.

Indo além, Ernani Terra traça um paralelo entre o sentido que o autor gostaria de transmitir ao leitor quando constrói um texto e a (re)construção feita pelo leitor a partir de seus próprios conhecimentos e vivências prévios.

“O sentido, portanto, não está no texto, mas é uma (re)construção do leitor na interação, por isso leitores diferentes construirão sentidos diferentes para um mesmo texto”, argumenta.

Pode-se inferir daí que, em uma atividade de leitura em grupo, como a que ocorre em um clube do livro, a pluralidade de sentidos permite a possibilidade de várias leituras de um mesmo texto. E é a partir dessas várias interpretações, pontos de vista e construções de sentido que cada um de nós tem a chance de expandir a própria visão de mundo.

Veja também: 10 livros para melhorar a comunicação. Confira!

Como criar um clube de leitura?

Seja você um educador ou um leitor voraz interessado em compartilhar perspectivas com outras pessoas sobre determinadas obras, saiba que não é muito difícil unir interesses e organizar a criação de um clube de leitura.

Para tanto, aqui vão algumas dicas:

  1. Estabeleça uma faixa etária;
  2. Procure limitar a quantidade de participantes;
  3. Escolha um local para os encontros;
  4. Incentive a participação do grupo na seleção das obras;
  5. Escolha um mediador;
  6. Crie um roteiro de leitura;
  7. Defina um tempo de duração.

1. Estabeleça uma faixa etária

É importante delimitar a faixa etária dos participantes do clube de leitura que você criará, até para definir a complexidade das obras. Se você atua como educador e deseja criar um clube do livro na sua instituição de ensino, por exemplo, precisa ter em mente que a indicação de títulos será diferente para estudantes com idades distintas. 

Enquanto para discentes com doze anos de idade pode ser interessante ler e debater obras que tratem sobre as questões e descobertas típicas da pré-adolescência, para alunos do ensino médio, as obras podem ser mais desafiadoras em termos de escrita e interpretação de texto.

2. Procure limitar a quantidade de participantes

Considere que o tamanho do grupo também é importante para o aprofundamento do debate. Enquanto grupos pequenos demais podem gerar debates mais curtos, a presença de muitos participantes pode tornar inviável que todos apresentem os seus pontos de vista com profundidade.  Equilíbrio é a palavra-chave neste aspecto!

3. Escolha um local para os encontros

Uma biblioteca, um café, um restaurante ou, até, um espaço virtual… As possibilidades de local para a realização dos encontros entre os participantes do clube são várias. Diante disso, uma ideia é decidir em consenso com o grupo, para que o espaço seja adequado e confortável para todos.

4. Incentive a participação do grupo na seleção das obras

A escolha das obras lidas pelos participantes do clube não precisa (ou deve) ficar restrita à pessoa que o fundou. É possível, por exemplo, que cada integrante sugira um livro e que o grupo faça, então, uma votação para a escolha da obra. Outra possibilidade é a escolha de um autor que todos gostem e cujas obras principais possam ser lidas em sequência. 

5. Escolha um mediador 

Essa pessoa ficará responsável por organizar os momentos de fala de cada um, assegurando a participação de todos no debate. Naturalmente, o mediador também terá um momento para apresentar as suas próprias opiniões, dado que ele será um membro do grupo.

É claro que tal figura não precisa, necessariamente, ser uma pessoa fixa. Pode-se escolher o membro que indicou a leitura do livro que será discutido em cada ocasião. 

6. Crie um roteiro de leitura

Para que discutam sobre uma obra em uma data específica, os membros do seu clube do livro terão o mesmo período de tempo para concluírem a leitura do livro escolhido. Posto isso, durante a mediação é interessante que se crie e compartilhe com todos um roteiro que direcione a leitura dentro do período de tempo pré-estabelecido.

Confira também: Veja como impactar negócios por meio do storytelling com dados!

7. Defina um tempo de duração

Para que o encontro seja proveitoso, é importante que ele tenha um tempo mínimo de duração, que permita o aprofundamento do debate. Também é interessante que o mediador faça uma amarração final daquilo que foi discutido ao longo da conversa.

3 dicas de leitura para o seu clube do livro

Para fechar, selecionamos três obras que podem render bons debates em seu clube do livro, encontradas no e-commerce da Editora do Direito:

  1. Coragem para Crescer;
  2. Realidade Virtual e Aumentada – Tecnologias Para Aplicações Profissionais;
  3. Sustentabilidade, Responsabilidade Social e Meio Ambiente.

1. Coragem para Crescer

Discordar do chefe, lutar por condições melhores e mais igualitárias, dispensar colaboradores ou tomar outras decisões impopulares, combater o assédio, o racismo ou a corrupção.

Esses são apenas alguns exemplos de oportunidades de ser corajoso no trabalho, concorda? Porém, por medo dos riscos – de perder amigos, status ou até mesmo o emprego – nem sempre agimos da forma como gostaríamos.

Nesta obra, o professor e pesquisador Jim Detert mostra que a coragem não é um traço de personalidade reservado a poucos, mas uma virtude essencial que desenvolvemos com a prática. Ele apresenta exemplos de pessoas comuns em diversos contextos, que, certamente, serão relacionáveis para os membros do seu clube do livro.

2. Realidade Virtual e Aumentada – Tecnologias Para Aplicações Profissionais

Direcionada ao leitor que deseja ter seu primeiro contato ou ampliar seus conhecimentos acerca da utilização da realidade virtual e da realidade aumentada na educação, este livro apresenta uma gama de informações sobre essas tecnologias, consideradas importantes ferramentas para as áreas também de medicina, arquitetura, engenharias, entre outras.

Se você é educador em disciplinas relacionadas a esses temas e deseja criar um clube do livro para engajar seus alunos em leituras mais aprofundadas, esta é uma obra para se ter em vista!

3. Sustentabilidade, Responsabilidade Social e Meio Ambiente

Neste caso, o leitor encontrará uma abordagem simples, clara e essencial sobre os diversos temas referentes às mudanças climáticas que vivenciamos. 

Além de proporcionar uma reflexão sobre o assunto, a obra também propõe soluções objetivas que estimulam atitudes e práticas capazes de beneficiar o coletivo e que podem ser concretizadas a partir do empenho de cada cidadão.

Trata-se de uma leitura bastante interessante diante do contexto de discussão acerca das diretrizes ESG por que passamos.

E, então, gostou do nosso artigo sobre clube do livro? Continue em nosso blog, pois temos uma série de conteúdos que podem ser interessantes para você. Aproveite para conhecer as metodologias inovativas e descobrir como aplicá-las na educação

Você também pode gostar

Artigos em destaque